23 dezembro, 2007

A maior cidade da região

Torres Novas e Entroncamento querem criar maior cidade da região
O Plano Estratégico é ambicioso e tem o ano de 2015 como horizonte

O famoso triângulo Abrantes/Tomar/Torres Novas vai dar lugar a uma “constelação” de cidades que terá como “estrelas” maiores Torres Novas e Entroncamento. É neste eixo que a Comunidade Urbana do Médio Tejo vai centrar a sua “metrópole”. O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara de Torres Novas, António Rodrigues (PS), durante a apresentação pública da estratégia do concelho, no âmbito do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN), para os próximos sete anos.

Para concretizar “a maior cidade do distrito de Santarém e da região” pretende-se construir uma via rápida com quatro faixas de rodagem, que substituirá o actual troço da Estrada Nacional 3 entre Torres Novas e Entroncamento. “Acabou o tempo de olharmos só para nós. Se quisermos uma região competitiva só lá chegaremos com diálogo e entendimento entre autarquias e comunidades urbanas”. As palavras do presidente da Câmara de Torres Novas ecoaram no Teatro Virgínia como um “recado” para os vários autarcas presentes na cerimónia. Principalmente para o presidente do Entroncamento, quando António Rodrigues salientou que, para a estratégia dar os seus frutos, “os transportes urbanos de Torres Novas têm de ir ao Entroncamento e os de lá vir até cá”.

António Rodrigues fez questão de enaltecer os colegas do Médio Tejo que aprovaram por unanimidade a futura zona industrial e de logística da Zibreira “como o projecto prioritário de toda esta região”. Mas não esqueceu de enumerar alguns dos projectos concelhios, incluídos num livro de 160 páginas entregue aos presentes na cerimónia. Investimentos de cem milhões de euros distribuídos por quatro eixos que considerou fundamentais para o desenvolvimento do seu concelho como a educação, o ambiente, o desenvolvimento económico e a chamada cidade criativa.

António Rodrigues referiu-se ainda ao papel extremamente importante do sector empresarial nesta estratégia. “Tenho um respeito tremendo pelos empresários porque são eles que geram riqueza e criam emprego”, disse, salientando contar com eles para as necessárias e desejadas parcerias público/privadas para a concretização de alguns dos projectos apresentados. “Queremos que os empresários tenham aqui a oportunidade de ganharem dinheiro mas também pagarem bem os seus impostos”.
Ler Mais em "O Mirante"»»»



COMENTÁRIO :
Este "livrimho" de 160 paginas do Torres Nova PT não é "nada" comparado com o nosso Alcanena 2013 com 326 páginas.
Agora só nos resta esperar que o n/ digníssimo presidente faça a apresentação desse projecto com o tal capítulo do "Museu do Território".
Vamos esperar sentados ?

2 comentários:

vmcs disse...

"Agora só nos resta esperar que o n/ digníssimo presidente faça a apresentação desse projecto com o tal capítulo do "Museu do Território". "

Pedro, não sejas assim, tão sádico!

Já imaginaste o que seria ouvir o Engº Luís Azevedo a dissertar sobre 326 páginas?

Quem é que aguentaria sem adormecer?

clemente carvalho disse...

pois... ia ser complicado. mas axo k aki o ti' clemente aguentava.. (qt mais nao seja .. com a ajuda de uns 4 ou 5 cafeiis)