07 dezembro, 2007

Livre e Independente


MENSÁRIO REGIONALISTA
- livre e independente -

Bela lição de independência, democracia e maturidade nos deram os editores do Jornal de Minde ao anteciparem "a jogada" e virem a terreirro expôr a situação. Como diria o Marcelo - nota 20.

Já não basta a falta de informação do site oficial da CMA. Eles querem o silêncio total. A tentativa de censura que os Senhores de Alcalena queriam implementar ao NOSSO JORNAL está a sair furada. Minde nunca permitirá que isso aconteça. A Banda e o Jornal são Sagrados!

À extensa lista de artigos divulgada na edição deste mês, referente aos ùltimos 18 anos (ínicio de funções das pessoas que actualmente exercem o poder na Câmara Municipal), em que foram publicadas notícias ou artigos de opinião menos favoráveis às autarquias, poderei ainda acrescentar mais um ítem.
Em Dezembro de 2005 o Jornal de Minde publicou uma Carta Aberta ao Presidente da CMA assinada por mim, da qual transcrevo 2 parágrafos:

Exmº. Senhor,
Presidente da Câmara Municipal de Alcanena
(...)
Por inerência profissional já laborei processualmente com muitas Câmaras Municipais e, perante a situação em causa, só me resta concluir que existem razões alheias ao processo e que o mesmo só poderá estar a ser objecto de proteccionismo e compadrio partidário (...).

O Sr. Presidente tem-se escondido no silêncio, protegendo um caso grave de violação do Plano Director Municipal com favorecimento de terceiros em detrimento de outrem.
É grave. Muito grave! Uma gestão democrática e isenta não tem este tipo de atitudes!
(...)
Com Cumprimentos,
J. P. S. Micaelo


COMENTÁRIO:
Nunca obtive qualquer resposta. Também, na altura, ninguém se queixou das notícias ou artigos de opinião menos favoráveis às autarquias.
Os donos do poder, que agora queriam a "crucificação" do Henrique, na altura assobiaram para o lado e não leram nada. Tiveram medo de mexer no assunto e que o tiro lhes saísse pela culatra?
Mais uma vez, Feliz Natal !!!




COMMENTS :
O post de ontem sobre este assunto gerou muita agitação e imensos comentários. Alguns bastante interessantes, outros nem por isso, e também alguns dispensáveis. Transcrevo algumas frases:

"Acabei de ler o Jornal de Minde. Isto é uma vergonha.
E nem é para o executivo camarário. Desses já nós vimos alguns destes feitos... Agora a comissão fabriqueira da Igreja deveria ter vergonha."
Anonymous said...

"daqui fala o pardalito mais novo, actualmente a estudar na polonia...
sem critica, sem originalidade e sem movimento social, a terra nao anda pa frente, mas podemos sempre falar de minde como o grande centro da industria á muitos e muitos anos atras.. enfim.. ja la vao os anos.. a malta tem de se mexer para andarmos pa frente!!!!
parabens jornal de minde..."
pardalito + novo

"Estou a deixar pela primeira vez um comentário neste blog...
E estou a deixar porque fiquei pasmado com a noticia central do Jornal de Minde...
Espero que a equipa se mantenha e mantenha o mesmo rumo. Mas fico com a sensação que isto não fica por aqui, que estão à espera que a equipa não tenha condições e saia, para, com a desculpa da renovação, ser substituida por outra, menos incómoda."
João Manuel Querido da Silva

"Esta situação é incrível. É preciso ter lata, falta de educação e cultura democrática. Mas quem é que esta gente pensa que é?"
“A penalização por não participares na política é acabares a ser governado pelos teus inferiores”
Anonymous said...

"Mal duma amizade quando não se pode criticar alguma situação só porque o outro está envolvido nela! (...)
Em resumo, a questão de fundo é a seguinte: será que um jornal propriedade da Igreja não pode ser politico, reflectindo os anseios da sociedade em que se insere? "
João Manuel Querido da Silva

"Isto, a ser verdade, é mesmo grave. Talvez muitas pessoas não apreendam completamente o que isto significa. Isto é um retrocesso social, histórico e educacional impressionante."
Anonymous said...

3 comentários:

Anónimo disse...

Pedro,

Informa-te, porque do que decorre da tua carta aberta a Câmara violou a lei em diversos pontos.

Estão obrigados a responder a qualquer pessoa que lhe dirija requerimento ou exposição.

São responsáveis, civil, financeira e disciplinarmente pelo facto de não terem atendido às denúncias ao caso do prédio da praça do estaminé. Este caso é gritante. Deverá ser denunciado às autoridades de fiscalização e tutela da Câmara. E também deveria ter sido denunciado e exposto à Assembleia, que teria que inquirir o Presidente da Câmara acerca do problema.

Por último:
Uma Câmara ser acusada em carta aberta de violar a lei, através de desvio de poder, compadrio partidário e fraude, e nada vir dizer e esclarecer, é por si revelador que sabiam da ilegalidade e optaram por utilizar uma técnica várias vezes utilizada pelos ICA's:

Deixem-nos gritar e esbracejar, que amanhã o Benfica perde ou vem outra notícia e deste problema já ninguém se lembra...

pm disse...

A Câmara violou a lei em muitos... muitos pontos...
Vamos indo, ...e obrigado pela dica.
Talvez o Benfica amanhã ganhe. Um abraço,
PM

x disse...

Isso vai ficar tudo em águas de bacalhau - até já fizeram acordo com os prevaricadores, e o ptédio vai ser acabado