24 abril, 2008

Ainda não foram ao Carsoscópio?

O último Centro Ciência Viva situa-se na nascente subterrânea do rio Alviela em Alcanena, no Maciço Calcário Estremenho (na A1 sair em Torres Novas). Intitula-se Carsoscópio, o que significa o observatório do carso (carso é a adaptação para português da palavra karst, o nome da esburacada região eslovena que serve para designar todo o modelado calcário). Todas as palavras com sufixo «cópio» têm a ver com o acto de observar - microscópio, telescópio, etc)
O edifício moderno e acolhedor, que se ergue logo acima da praia fluvial, reúne três secções:

  • o Geódromo, um filme de realidade virtual sobre o maciço calcário e as suas nascentes, com tecnologia de cadeiras móveis como há nalguns parques de diversões.

  • o Climatódromo, um filme a três dimensões para ver com óculos especiais sobre o clima da região, em particular as precipitações que estão na origem da grande nascente (à saída está um módulo interactivo exemplifica o ciclo da água)

  • o Quiroptário, uma galeria sobre morcegos com interessantes módulos, nomeadamente um capacete para ecolocalização que permite ao visitante imitar um morcego. Apesar de toda a tecnologia visual, o Quiroptário pareceu-me a parte mais interessante. A informação sobre os quirópteros era correcta e adequada à idade dos jovens, que são os principais destinatários, e as monitoras eram bastante simpáticas.

O visitante não deve esquecer-se de dar uma volta por fora do Carsoscópio para ver o canhão ("canyon") escavado pela fúria das águas. Há excursões guiadas a esse belo recanto do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeeiros, assim como a outros. E também, já que se encontra nessa zona, o visitante pode visitar grutas turísticas como as de Mira de Aire, com curso de água subterrâneo (apesar de haver comunicação de água, não se conhece uma comunicação penetrável pelo homem até à Nascente, ou Olhos de Água, do Alviela) ou, menos turísticas, como o Algar do Peno. A região faz as delícias dos espeleólogos e dos admiradores deles!

O Geódromo dá uma ideia da exploração subaquática da nascente, uma exploração que não está acabada. No ano passado uma expedição da Sociedade Portuguesa de Espeleologia, com um mergulhador polaco, permitiu atingir um recorde de profundidade de 130 metros abaixo da superfície, sem se atingir o fundo da cavidade (ver em baixo mapa da cavidade). Este tipo de exploração é extremamente perigoso, tendo custado a vida, embora noutros locais, a alguns exploradores mais afoitos. Vale a pena lembrar que uma nascente semelhante, mas ainda maior, é a Fonte de Vaucluse, no Sul de França, onde o lendário Jacques Yves Cousteau mergulhou até -46 metros, o temerário espeleonauta alemão Jochen Hasenmayer desceu até -205 m e um engenho telecomandado atingiu o fundo do sifão a -305 m.

E talvez não seja do conhecimento geral que o recorde do mundo de mergulho subaquático em grutas pertence a um português, o extraordinário
Nuno Gomes, um engenheiro emigrante na África do Sul, que estabeleceu o recorde do mundo de -283 m na gruta de Bushmansgat na África do Sul, Em mergulho em águas livres, no Mar Vermelho, o português já atingiu outro fabuloso recorde: -318 m. Eu julgo que Nuno Gomes ainda não mergulhou na nascente do Alviela. Talvez quando o fizer, consiga ir abaixo dos actuais 130 m de profundidade...

(retirado do blog «De Rerum Natura»)

Um artigo interessante sobre este equipamento. Gostava de saber porque não é criada uma empresa municipal para o gerir. E porque não é melhor publicitado. Não são capazes de negociar com a Brisa a colocação de um painel turistico a uns 4 Km da saída de Torres Novas na A1?


ADENDA (PM):
O recorde em subsolo nacional de mergulho em profundidade alcançado o ano passado nas nascentes do Alviela (referido no texto), teve a participação da Delegação de Minde da Soc. Portuguesa de Espeleologia. Publicamos o feito e fotos AQUI

14 comentários:

Mindericus Vulgaris disse...

Bom dia

E o cavalheiro já foi ao Carsoscópio? Ou anda só a ver passar as notícias nos outros blogs?

pm disse...

Ainda recentemente os organizadores de um evento que se vai realizar em Minde propuseram à CMA a promoção, através de uma campanha publicitária que não custaria um tostão à CMA, da divulgação do Carsoscópio, e a resposta foi um redondo NÃO dado pelo vice-presidente. Eu fiquei incrédulo, mas é verdade.
Será por sermos Mindericos?

Mindericus Vulgaris disse...

Bom dia Pedro

Faz lembrar a cena com a conta bancária que o Governo autorizou que se abrisse a favor dos Bombeiros de Minde, aquando do incêndio.

O Azevedo recusou publicitar a conta alegando que os Bombeiros não precisavam de esmolas!!!

Ainda hoje consta no Minderico um link para essa conta.

Devia haver um tribunal para sancionar as condutas de individuos como este ( o Azevedo), cujas condutas ferem e chocam com o sentir das populações.

vmcs

ACSQM disse...

As coisas ás vezes estão mesmo á nossa frente e nem as vemos. Passo a explicar, só soube da existência de tal equipamento á uns três meses, e só depois de ler esta explicação que o JMQ transcreve, percebi o que era, e para que servia, e parece-me ser um projecto bastante interessante.

Por coincidência ou não, na revista "Visão" desta semana, vem um artigo sobre os concelhos onde é mais barato habitar, e o que o poder local faz para evitar que as pessoas fujam.No meio do artigo vem uma referência ao concelho de Mora, no distrito de Évora, e do seu Fluviário (confesso que sei mais sobre o fluviario do que sabia sobre o Carsoscópio). Isto tudo para referir que segundo o artigo este equipamento deu emprego a trinta jovens, e num ano de existência teve 210 mil visitantes e já deu a Câmara 500 mil euros de lucro. E ainda segundo o Presidente da Câmara ajudou a fixar os jovens no concelho e a trazer gente de fora. Não explica como conseguiu tudo isto num ano, mas quero acreditar que se deve a empenho, a um planeamento realista e com futuro.

Quando é que a nossa Câmara, vai perceber que é necessário promover as coisas, planear para o futuro?? É Claro que "a galinha da vizinha é melhor que a minha", mas parece me um bom exemplo de como as boas ideias, podem ser rentáveis e benéficas para o concelho.

Cumprimentos
ACSQM

pm disse...

Pois é cara ACSQM,

O Fluviário rendeu num ano a Mora 500 mil euros com 210 mil visitas e trinta postos de trabalho criados.

O Carsoscópio custa por ano 300 mil (suportados quase na totalidade pela CMA), não acredito que mesmo neste 1º ano consiga mais de quatro ou cinco mil visitas (estou a ser optimista) e tem um quadro de 24 funcionários.

O Sr. Presidente da CMA afirma que este tipo de equipamentos não são para dar lucro (visões de quem tem o seu ordenado e reforma assegurada), e... esta é a grande diferença entre gerir e saber gerir.

ACSQM disse...

"O Sr. Presidente da CMA afirma que este tipo de equipamentos não são para dar lucro"

Este Sr. Azevedo não deve pensar muito no que diz pois não????

Estes equipamentos são feitos para promover a cultura,ciência, etc, mas para se auto financiarem a eles próprios, e se possivel para darem lucros para se poderem expandir e/ou melhorar.

Com este tipo de pensamento, já estou a ver dentro de muito pouco tempo, aos nossos fantasticos museus encerrarem portas porque não existe dinheiro para os manter!!!!!

Como é que isto é possivel?!

wolfinho disse...

Pois é, a camara não negociou com a brisa a colocação de uma placard publicitário sobre o Carsoscópio porque colocou uma placazinha na retunda do pintassilgo a indicar o respectivo equipamento.
Mas atenção se não for com atenção, nem dá pela placa.

É a vida...

JMQ disse...

Alguém perdeu uma oportunidade de ficar calado. Há muito tempo que está combinado ir com um grupo de casais de Aveiro visitar este fim de semana o Carsoscópio.

Quanto ao equipamento em si, uma solução seria criar uma empresa municipal para o gerir. Com um director profissional à frente.

Pergunto:
- quem é o responsável pelo Carsoscópio?
- Porque é que na página não vem o itinerário para lá chegar vindo do nó da Auto Estrada?
- Porque é que o endereço é a própria Câmara em Alcanena e não estão colocadas as coordenadas GPS?
- E a página em inglês naõ tem conteúdos na opção «Informações úteis» (que ainda está em português!)
- Porque não se cria uma página em espanhol?
- Será que para o ano, com os museus e o Carsoscópio a Câmara de Alcanena vai ter um stand na BTL (Bolsa de Turismo de Lisboa)?

É claro que estas ideias não vão ser lidas por quem de direito ou vão ser rotuladas de «disparates» pelos nossos autarcas...

Mindericus Vulgaris disse...

O cavalheiro vai visitar o Carsoscópio .....................

agora é que o Carsoscópio vai passar a ser conhecido no Mundo ........

Anónimo disse...

Deixa lá o homem em paz!

Anónimo disse...

que ideia genial.
do que este concelho mais precisa é de (outra) empresa municipal. de mais um pouso de tachos e sorvedouro de dinheiros públicos.

por amor de deus. dêem ideias, mas com pés e cabeça.

autarca da oposição

pm disse...

Uma empresa municipal?
Não sei se será uma solução. Mas é uma idéia, como tantas outras, expressa pelo JMQ que escreveu e assinou.

Só é pena que o intitulado "autarca da oposição" não tenha coragem para fazer o mesmo.

Seria a criação de mais tachos?
Concordo. Mas os tachos já lá estão, com 24 empregos criados, e sem qualquer tipo de responsabilização. Com lucro ou sem lucro, a Câmara está por detrás e cobre os déficites.

JMQ disse...

como a câmara não tem contabilidade analitica (de curtos) seria uma forma de os senhores deputados saberem se o equipamento dava lucro ou prejuízo. Eu notei-dirigido por um director competente. Não tachos.

O senhor Vitor, deixe-me em paz. O senhor não consegue parar, está visto.

Mindericus Vulgaris disse...

Mais uma empresa municipal?

Quando se pretende acabar com esse cancro, v�m-se propor mais empresas dessas?

J� agora, e por que n�o uma empresa municipal para gerir a casa A�ores?

E outra para gerir o Pavilh�o do Vit�ria?

cavalheiro, aguardo o seu relato da visita � empresa municipal carsosc�pio.

Bom fds