25 abril, 2008

Protestos e lamentações

Sobre a última reunião do executivo (ver post Contas da Câmara de Alcanena aprovadas sem a bênção da oposição), o jornal "O Mirante" escreveu:
«Os argumentos da vereadora socialista irritaram o presidente que não poupou críticas a Fernanda Asseiceira (PS). Luís Azevedo (ICA) diz que o município que dirige “caminha solitário” no que refere a apoios por parte do governo. A indignação do presidente deve-se ao facto do autarca ter solicitado, por diversas vezes, audiências com elementos do governo de diferentes ministérios e de “nunca ter obtido sequer uma resposta».
Hoje, 25 de Abril, no referido post, foi deixado o seguinte comentário "Anónimo" :

"Bem pode o senhor presidente protestar à vereadora do PS por não ser recebido por ninguém do governo. Ele sabe muito bem porquê."

Ainda no passado dia 19 de Abril esteve em Alcanena o Ministro Vieira da Silva que, quando questionado por uma pessoa presente no encontro, se alguma vez o Sr. Presidente da Câmara o tinha contactado ou solicitado uma reunião, afirmou que nunca foi contactado por ele.
Não esquecer que o Ministro faz parte da Assembleia Municipal e quando vem às reuniões (nem sempre pode vir por razões compreensíveis) poderia ser aproveitada a sua presença como uma mais valia para eventuais contactos com o Governo, já que ele não o quer fazer à Vereadora/Deputada para não lhe dar muita importância e protagonismo.

É, portanto, mais fácil vitimizar-se. Mais fácil e proveitoso porque foi com esta do coitadinho que ele venceu as primeiras eleições quando concorreu pelos ICAS. Coitadinho, as pessoas são tão más para si não é sr. presidente? Não sabem é que você é vingativo e pune descaradamente quem não o apoiou, não é? Mas já está a pagar por isso. Deus tarda mas não falha.
Comentário Anónimo

7 comentários:

Mindericus Vulgaris disse...

Caro Pedro

A estratégia do coitadinho resulta muitas vezes, dada a ileteracia do povo português que gosta de apoiar os pobres de espírito como o Azevedo.

Temo seriamente que nas próximas autárquicas este senhor Azevedo se volte a recandidatar e ganhe.

Não vejo por parte da oposição um trabalho de denuncia consequente junto da população de Alcanena.

Os futuros candidatos deveriam começar já a vir para o tereno, elucidando as pessoas, ouvindo-as, explicando o que pensam fazer para relançar o Concelho.

Em Minde, com a inauguração da recuperada Casa Açores, futuro depósito das obras de Mestre Roque Gameiro, a população da Freguesia (grande parte) vai ficar embasbacada perante tão expectacular obra.

Aquela Casa, semi-em-ruínas há dezenas de anos, toda arranjadinha, vai servir para dar a volta a muita gente em Minde.

Ouviremos - ah, o Azevedo coitado, mesmo com a Câmara sem dinheiro até tem feito umas coisas.

Este "até tem feito", próprio de mentes profundamente influenciadas ainda pelo SALAZARISMO (pobretes mas alegretes) é corrosivo para as instituições democráticas, porque "premeia" o (de) mérito de individuos como o Azevedo, cínicos até mais não, que fazem do "coitadismo" uma terrível arma política.

Por outro lado, vai ser inevitável termos a máquina do CAORG a trabalhar para o Azevedo, dado que o facto de a propriedade da Casa Açores ser da Câmara, inibirá sempre esta direcção de atitudes de isenção.

Não esqueçamos que o António Menezes, CDS convicto, foi metido nas listas do PS, como cunha do CAORG para fazer parelha com os ICAS para esta questão.

Muita gente em MInde depende financeiramente do CAORG e esse facto joga a favor do Azevedo.

Também a Banda de Minde está condicionada pelo Azevedo, pois a oferta do Largo das Eiras à Banda, foi uma jogada perversa do Azevedo para os ter na mão.

Também o Vitória Mindense está condicionado pelo Azevedo. Os Bombeiros idem, idem.

São dezenas de famílias que irão ser condicionadas pelo Azevedismo.

Basta olhar para a composição da Assembleia de Freguesia e vermos quem a dirige. É inevitável que a família que suporta o Presidente da Assembelia "jogue" a favor do Azevedo.

Estamos ainda a mais de um ano de eleições e para além ainda da Zona Industrial o Azevedo não deixará de fazer mais uma obra em Minde, quanto mais não seja o anuncio do tal edificio secreto no Largo das Eiras.

Não nos iludamos nem nos deixemos iludir pelas Oposições que nitidamente não fazer a ponta de um corno.

Andar desde há poucos meses a escrever artigos em blogs que só são lidos por algumas pessoas, não dá a ninguém credibilidade suficiente para vir impor-se no terreno.

E agora, que já estou cansado dos dedos, e com dores na garganta e no nariz, aos quais fui operado há poucos dias, vou acabar dizendo:

VIVA O 25 DE ABRIL, mesmo assim!

vmcs

pm disse...

VMCS,
Gostei deste comentário. Claro, objectivo e sem papas na língua (hoje acordaste inspirado).

Não subscrevo totalmente, mas, no geral, concordo com o ponto de vista.

E já agora,
VIVA O 25 ABRIL, mas...
NÃO BASTAM AS COMEMORAÇÕES, É TEMPO DE CONTINUAR A REVOLUÇÃO

Mindericus Vulgaris disse...

Pedro

Eu às vezes até me dar para escrever razoavelmente. A estas horas já alguns me rogaram pragas por ter escrito AQUELAS coisas.

Mas eu sou assim. Oxalá fossemos todos assim.

Isto sou eu a divagar, claro.

VIVA O 25 DE ABRIL SEMPRE!

ABAIXO O CAGAÇO E A SUBSERVIÊNCIA!

Anónimo disse...

Deixem-me ver se percebi o raciocínio do Sr Victor na sua “ crónica” : O Azevedismo e seus condicionamentos.
PROBLEMA – “Minde está todo (ou quase todo) condicionado ao Azevedo, por depender dele”.
RESOLUÇÃO:
Hipótese 1- A BANDA está condicionada e, portanto, todas as famílias com ela relacionadas, estão também na sua mão.
Ora, sendo um dos dirigentes da Banda cunhado do Sr Victor, então também o Sr. Victor e respectiva família estão condicionados.
Hipótese 2- A máquina do CAORG está condicionada, estando também, consequentemente, as famílias que dele dependem financeiramente.
Ora, sendo uma das dirigentes do CAORG casada com um primo (direito) do Sr. Victor e, sendo outra delas prima (3ª) do dito ( para não falar que o marido desta prima é cunha a fazer parelha com ICAs), então também o Sr. Victor estará inibido e respectiva família.
Hipótese 3- Os BOMBEIROS estão condicionados e, claro, as famílias deles.
Ora, sendo o Presidente do Conselho Fiscal dos Bombeiros primo (direito) da esposa do Sr. Victor, então, obviamente, também o Sr. Victor fica condicionado e toda a sua família.
Hipótese 4-O VITÓRIA FUTEBOL DE MINDE está condicionado e, óbvio, as suas famílias.
Ora, sendo o Presidente do Vitória primo (direito) do Sr. Victor e sendo o seu cunhado também da direcção do Vitória, então, o Sr. Victor está condicionado.
Hipótese 5- O Presidente da ASSEMBLEIA DE FREGUESIA de Minde está condicionado e, logo, também a respectiva família.
Ora, sendo o Sr. Victor primo (direito) do Presidente, então, como membro da família, o Sr. Victor fica condicionado e todos os restantes membros.
CONCLUSÃO: O Sr. Victor vai votar “ Azevedo”, porque, também ele,está condicionado.
Simples problema de LÓGICA.
Beijinhos

Anónimo disse...

ahahahahah

bem desmontado a esparrela em que o comentário do eng. vítor queria meter alguns.

afinal parece que o eng. vítor é tão independente como os outros optimae de minde... pelo menos a fazer crer nas palavras dele próprio...

é bem verdade, pela boca morre o peixe.

já sabem, aqui está mais um desses apioantes do azevedo encapotado.

Um mindericus verdadeiramente vulgaris e não da família do eng. vítor, pelos vistos dominada completamente pelo azevedo e que, pelos vistos (risos)

Mindericus Vulgaris disse...

Olá

Só agora vi estes brilhantes raciocínios.

Mas estão enganados, eu sempre pendi mais para o Engº Carlos Cunha.

Cumprimentos aos sagazes anónimos.

Especialmente ao de cima, que identifiquei logo.

Pode ser que eu qualquer dia explique preto no branco quais os interesses particulares a defender por "certos ICAS" ;-)

Há braços

vmcs

xoriça disse...

Aquele anonimo do raciocinio inteligente tem "cara" de quem já foi o pior vereador que já passou pelas hostes socialistas da cambra!!!