09 dezembro, 2008

A limpeza do mato e o campo de ténis



Ainda no mês passado publicamos aqui estas duas fotos, relacionadas com o facto de os servíços do Gabinete Técnico Florestal do Município de Alcanena estarem a aplicar coimas aos privados relativas à "não limpeza dos terrenos" (ao abrigo da legislação de Prevenção Contra Incêndios), e, simultaneamente, permitir o estado deplorável em que se encontravam os arredores e partes circundantes do Pavilhão Gimnodesportivo de Minde e Campo de Ténis.



Hoje, felizmente, já não podemos falar assim. Uma equipa de limpeza passou pelo local e procedeu ao respectivo serviço, deixando o local num "mimo". O Verão, e o consequente perigo de incêndios, já lá vai, mas fica o bom trabalho, e, vale mais tarde que nunca.
Não sei se o trabalho foi executado pela necessidade do mesmo, ou simplesmente para existir legitimidade moral para multar os privados. Mas tanto faz. A lei é para cumprir e as autarquias devem dar o exemplo.



Com esta desmatização os horizontes ficaram mais amplos e o próprio pavilhão fica valorizado visualmente. Com a simples aplicação de uns lancis, facilmente esta àrea, entre o pavilhão e o campo de ténis, levaria um arranjo urbanístico, semelhante ao do lado oposto.



E até as bancadas do campo de ténis já se conseguem ver. Mas servirão para pouco mais que isso, visto que o campo de ténis está inutilizável. A limpeza não só pôs a nú os podres do campo de ténis, como até originou o ruir da vedação para cima do recinto desportivo.



A continuar assim será mesmo o fim. Para se salvar este espaço é urgente remendar o pavimento (o ideal seria um piso novo) e colocar uma nova vedação metálica. A que lá existe, chegou a um estado que já não tem recuperação.


Ainda no passado mês de Outubro este espaço era utilizado, principalmente por jovens dos arredores de Minde.
Em conversa com dois deles, que se diziam utilizadores habituais e lamentavam a irregulariade do piso numa determinada zona, perguntei se não preferiam pagar 3 ou 4 euros, jogar num piso melhor e ter direito a um banho no pavilhão. Responderam logo que sim. Isso é que era bom !!



E eu também acho. O Campo de Ténis tem de ser recuperado e dignificado, de modo a que possa ser integrado nos serviços do Pavilhão Gimnodesportivo, devendo ser vedado e cobrada uma pequena taxa sobre a sua utilização, fomentando a modalidade desportiva e contribuindo para os custos de manutenção. Poderia até tornar-se num acréscimo de receitas significativo.
Por um Minde melhor !!!

4 comentários:

Anónimo disse...

Este blog e as intervenções do Pedro Micaelo são um verdadeiro serviço pública a Minde e ao concelho de Alcanena.

Aqui é que se vêem ideias e está a verdadeira oposição aos fracos governantes que temos.

pm disse...

Muito obrigado pela palavras de incentivo.
Pena é que não haja mais gente a querer colaborar (principalmente os residentes em Minde) e a expôr tb as suas idéias para que isto não se torne monótono e cansativo.

Mas é a terra e a gente que temos, e por enquanto cá vamos indo, cantando e rindo, até que a falta de vontade e o cansaço de malhar em ferro frio não se instale por estas bandas.
Um abraço

vmcs disse...

Continua pá, alguém tem de falar nestas coisas. Embora no fundo se esteja a falar para o boneco.

Os mais jovens tratam de arranjar empregos fora de Minde. A posição deles, salvo os esporádicos entusiasmos com alguma festarola que haja, é de encolher os ombros.

Os de média idade andam a tentar aguentar as suas empresas, a maior parte delas herdadas, no caso dos industriais e comerciantes. Ingloriamente, penso eu, e no grupo me incluo.

O supra-sumo da cultura em Minde só pensa nos seus espectáculos e mo museu que está para abrir.

Os mais idosos, que no fundo criaram Minde tal como foi até há pouco tempo (o resto são tretas), fizeram o seu extraordinário papel de criar riqueza para Minde - industriais, comerciantes e seus antigos empregados, muitos deles gostando mais de Minde que muitos dos próprios Mindericos.

Os políticos trataram das suas carreiras políticas e dos seus egos pessoais, pouco se importando com a economia do Concelho. Mesmo os políticos não profissionais cá do burgo.

Obras e mais obrecas de fachada, muitas delas só para encher o olho ao povão.

Os Padres de Minde vão consolando as almas tristes dos seus paroquianos, servindo as mais das vezes de psicólogos.

Enfim, o cansaço mental e psicológico dos Mindericos é notório. Dou o meu próprio exemplo, que no Minderico me limito apenas a fazer links para coisas que acho interessantes e em mandar (raramente) uma "boca" ou outra. O tempo também não sobra da atrapalhação em que ando para ver se aguento a crise.

Enfim, tal como diz José Saramago, o estado do Mundo é aterrador.

Estamos feitos. Haja alguém como o Pedro Micaelo que vá tentando "mexer" nos nossos neurónios. É que até o Jornal de Minde está uma pasmaceira.

Resta o Minde-Online.

Bom Natal para todos e que Deus, se é que de facto existe, olhe por nós.

Cumprimentos a todos e muitas filhós neste Natal, porque as prendas vão rarear.

vmcs

Anónimo disse...

bons momentos de infancia que ai passei... hoje... qd xego mais perto fico triste... parece que esta zona nao pertence a minde..:( mais parece um bocado de terra abandonada no meio do mato...