18 julho, 2008

Passatempo Mickael Carreira



No site http://www.mickaelcarreira.minde.eu/ lançámos um passatempo para a elaboração de uma frase que contivesse as palavras Mickael Carreira e Minde.
Recebemos algumas dezenas de frases, das quais publicamos as melhores:

  • Em Minde eu estarei e irei sonhar, com o Mickael Carreira, uma estrela a brilhar. Ana Paula
  • Eu vou. Eu vou a Minde ver o Mickael Carreira cantar, mesmo sem o bilhete ganhar. Carlos T
  • Do Porto a Minde eu vou para ver Mickael cantar e tambem conhecer a terra que ele vai embelezar. Joana S
  • Mickael Carreira é uma Anjo que nos sabe encantar, dia 19 em Minde não podes faltar. Patrícia C
  • Mickael Carreira é uma estrela que não para de brilhar, no dia 19 em Minde ele vai arrasar! Lurdes H
  • Mickael Carreira é um jovem cantor. Dia 19 de Julho em Minde vai fazer furor. André C
  • Dia 19 de julho ,que dia espectacular, De Lisboa a Minde eu vou para ver o Mickael Carreira actuar. Yolanda F
  • Mickael Carreira é um fenomeno que nunca vai parar, dia 19 em Minde a todos vai encantar. Maria C
  • Tenho tanto que dizer. Nao sei onde comecar. Com o Mickael Carreira em Minde passo o dia a sonhar. Guida M
  • Em Minde com o Mickael Carreira, vai ser um espectaculo mesmo a maneira. Com uns movimentos, sensuais aqui, e uns beijinhos ali vamos querer tudo ate nao ser demais. Ana C

Foram premiadas as duas primeiras frases oriundas de Santarém e Mira de Aire. A primeira recebe um bilhete e a segunda frase ganha uma T-shirt. A todos os participantes muito obrigado !!!

NOTA: Ninguém da organização se voluntarizou para nos apoiar nesta iniciativa, mas o MINDE.EU responsabiliza-se pela mesma e já contactou os vencedores para a entrega dos prémios.

48 comentários:

Anónimo disse...

CONVIDEM O GAIJO PARA A GRANDE FESTA DA MUSICA EM SETEMBRO. SEMPRE SÃO MAIS 300 PESSOAS A ASSISTIR, COMO FOI ONTEM.

Anónimo disse...

parece que foi um fiasco, estava pouca gente. agora que mindericos vão pagar a factura do menino pimba?

Anónimo disse...

pagantes foram 283.

Um festeiro de 2009 disse...

Fico triste com estes numeros. Como foi possivel? Com uma receita pouco superior a 4000 euros, o cantor de certeza cobrou muito mais que isso. QUEM PAGOU?

Eu não percebo como pessoas com 50 anos vão organizar isto sem garantias, com pouca publicidade e numa altura em que Minde está a atravessar uma crise.

Também não percebo como a Comissão Fabriqueira (ultima responsavel pelas comissões de festas) aceitou que esta organização fizesse este espectáculo. Afinal quem criticava os outros faz o mesmo ou pior...

P.S. Se esta festa tiver um prejuízo por causa desta tontaria, não sou eu que fou fazê-la para o ano, não.

Anónimo disse...

Ele há gente que continua a apostar nos espectaculos para fazer Minde sair da crise. Há tempos ouvi um industrial dos mais peneirentos de Minde a dizer que o futuro de Minde passa por organizar eventos como o BTT Minde.

Achei piada.

Esta história do Mickael Carreira faz lembrar o grande comerciante que fez um casamento de 500 pessoas há umas semanas. Prepara-se para fechar a sua organização, mas que fez um casamento ao filho com 500 pessoas, lá isso fez.

Tá tudo doido. Ensandeceram! E esta comissão fabriqueira e esta igreja permitem coisas destas!

Leiam a notícia no portal minderico tirada do diario de noticias. Há gente a pedir comida ás misericordias de Portugal, mas continuam a ter internet em casa e a viajar para o estrangeiro.

Mas estes mindericos cagões ainda não perceberam que estamos todos tramados? Que vamos rebentar todos?

Ah, e não se esqueçam de fazer mais uma grande festa da música lá para setembro.

Ó Malta, tomem juizo!

Anónimo disse...

Então onde é que está a solução para a saída da crise de Minde, ó esperto de merda e anónimo?
Junta-te à lista dos que só sabem falar e criticar. Apontar soluções, ter ideias: ZERO.

Quanto ao concerto: xiii, grande bronca. Espero que haja dinheiro para pagar as coisas, até porque o ano deve ter tido outras fontes de rendimento e a comissão fabriqueira também deve estar capitalizada. Já percebi que muito daqui se escreve é com desconhecimento de causa...

É preciso repensar de uma vez por todas este sistema das festas, do seu financiamento e do destino dos resultados, dos garantes das dívidas, etc..

Anónimo disse...

E agora vão fazer 5.500 bilhetes para leiloar um carro a 10 euros cada um. Tá aqui tá vendido!

pm disse...

São três da matina e, com mais de mil kms bem quentinhos no pêlo, cheguei agora a casa. O vício levou-me a ligar o computador na companhia de uma cigarrada. Má idéia porque a esta hora já podia estar deitado.

Passei por Minde e já sabia que o espectáculo não tinha corrido bem, mas mais indignado fiquei com o cinismo e hipocrisia de alguns destes comentários feitos por corajosos anónimos que se dizem mindericos dos sete costados, mas nem "tomates" têm para expressar frontalmente o que pensam e assinar aquilo que escrevem.

A inveja é um dos pecados mortais, mas mora muito em Minde (mas mesmo muito). Há gente que nunca fez "ponta de corno" por Minde, mas são os primeiros a criticar tudo o que os outros fazem (ou tentam fazer), e cuja felicidade se resume em deitar abaixo o vizinho (pelas costas). Ficam extremamente felizes com o fracasso dos outros e muito incomodados com os que tentam fazer alguma coisa.
Classifico-os de uns tristes que nem f... nem deixam f..., e, um ou dois, já aqui deixou a sua marca. Se a coisa tivesse corrido bem, seriam os primeiros a vir com palavras elogiosas e até a afirmar que sempre apoiaram a idéia e que Minde precisa destes eventos.

O espectáculo correu mal em termos de afluência de público. Sucede. A idéia pode não ter sido a melhor, mas também ainda não me constou que a organização tivesse ido pedir dinheiro a alguém. Eles são os responsáveis e julgo que alguma solução hão-de arranjar. Só não erra quem não faz nada.

Também não entendo porquê é que o BTT e a Festa da Música são para aqui chamados. Está a fazer comichão a alguém?

É pena que esses idiotas e cheios de soluções para "Salvar Minde" não as apresentem e se cheguem á frente para as pôr em prática, mas apenas apostem na discódia maldizente e na intriguice. São talentos desperdiçados.
E não satisfeitos ainda foram deixar tristes comentários sobre este tema num post do Alcanet que nada tem a ver com o assunto, referindo até o meu nome. São os grandes e autoproclamados amigos de Minde.
Com gente desta na terra, Minde nem precisa de inimigos.

Interessante é verificar que no post anterior sobre o planeamento do futuro do concelho, nem um comentário, mas, neste post, botar abaixo e enterrar ainda mais uma organização que se esforçou e tentou fazer algo diferente, os críticos do teclado são os primeiros a fazer fila (anonimamente).

Desta vez correu mal. Foi uma aposta falhada. Mas há dez anos atrás todos disseram que foi uma das melhores festas de Minde. Lembram-se? E os organizadores foram os mesmos.
Uma batalha não é a guerra e estou certo que irão dar a volta por cima.

Numa coisa estou de acordo:
Há que pensar e reformular este esquema das festas em Minde.

Um bem-haja, e agora podem descascar em mim.

Anónimo disse...

Concordo completamente com este post do Pedro Micaelo.

Não stressem com os azares do Mickael Carreira. A festa é só para Agosto. Costumam dar sempre um bom lucro. Dinheiro há-de aparecer, portanto, nenhum mal daqui há-de vir ao mundo.

É necessário é repensar o sistema de festas. Mas fazê-lo com tempo, com participação alargada de todos os intervenientes qualificados e da população interessada de Minde, de cabeça fria e não sob pressão de um ou outro evento que correu mal.

Rujdb

clemente carvalho disse...

pessoal vamos parar de mandar 'pontapes' nos festeiros e vamos tentar ajuda-los a levantar a cabeça em agosto (axo k isso é o mais importante) pois criticar nao vai mudar nada.

o k passou .. passou.. agora temos k mudar o k correu mal e fazer melhor ja em agosto.

vá vcs conseguem.. força nisso.

Anónimo disse...

Como ja´tinha dito num post anterior sobre o filho do Tony carreira, A Malta do ano 58 de certeza que pensaram sobre o assunto e decidiram contratar o rapaz. Tinha dito tambem que se eu fosse do ano 58 votaria não para a contratação desse "piroso" como alguns dizem.

Agora a malta do ano 58 que não ande por aí a tirar a pele dos mindricos sob o pretesto de que o espectáculo não correu muito bem e que precisam de capital. Nas festas todas que há em minde, tanto religiosas como de colectividades eu dou sempre qualquer coisa, e posso garantir que ao fim do ano são mais de 300€ e ainda são muitos mindericos que o fazem (50€ para esta, mais 50€ para aquela festa e assim se vai o dinheiro)

Eu cá não estou para pagar os erros e burrices de outros, já chegam bem os meus.

Se o Mickael Carreira cá veio, alguem o contratou, houve com certeza a celebração de um contrato que está assinado por alguem ou alguns, e não deve estar nenhuma assinatura de alguem em nome da comissão fabriqueira.

E agora o Sr. Pedro Micaelo que não venha criticar este meu comentário sob pretesto de que não dou ideias, que não colaboro e que só venho para aqui dar bitaites. Consultar o TEU blog e comentar no TEU blog, não obriga a dar ideias brilhantes para a nossa terra, e, tambem não proíbe de dar bitaites. Se assim fosse só tinhas que não colocar o post no TEU blog e pronto. Tens legitimidade para isso.
Ainda vais ter que mudar 2 ou 3 processadores do teu computador antes de alguem ter uma ideia genial para a nossa terra, para que assim saia deste caos. Olha que a roda já foi inventada faz muito tempo.

Tambem nós (os anónimos) te podemos acusar de que se o concerto do Mickael Carreira tivesse sido um sucesso, o Teu Blog estava aqui todo a brilhar com cenas do Mickael carreira e mais uma data de clips e outras tantas fotografias que alguem tivesse tirado por lá no Pavilhão. Não tiveste ninguem que te facultasse umas fotos para por nos teus BLOGS????

De qualquer das formas acho que não estou a criticar ninguem ofensivamente.

Não deixo tambem de dizer que aprecio muito o teu trabalho aqui na blogosfera, uma "carolice" (como tu lhe chamas) muito informativa. Com conteudos bastante elucidativos, excelentes post e bastante engraçado.

Desejo boa sotre á malta de 58 que é o que eles precisam agora nesta altura.

Ha bens que vêm por males e todos nós seriamos muito mais inteligentes se aproveitassemos os erros dos outros para depois fazer melhor, porque a maioria das pessoas só aprende com os seus próprios erros.

Ass: Navigation

wolfinho disse...

Com criticas negativas ou construtivas (estas poucas), devo dizer que o espetaculo do Mickaell Carreira (de quem não sou apreciador, só fui para ajudar) foi de longe o melhor que vi até hoje naquele pavilhão, tanto em termos sonoros como visuais.
Dizem cobras e lagartos da acustica do Ana Sonça, mas pelo que vi e ouvi no sábado, com material bom conseguem fazer som de qualidade. A malta de 58 pelo k vi e ouvi fez tudo bem feito, só foi pena o publico não comparecer e dai pode-se tirar ilações para o futuro, mas que quem não foi perdeu um bom espetaculo, isso perdeu. Não sei se nos proximos anos o Ana Sonça verá algo de tanta qualidade.

Anónimo disse...

Há uma coisa que todos sabem e é inquestionável: no fim de tudo, quem garante as dívidas que possam ser criadas por estas festas é a Comissão Fabriqueira da Igreja. Independentemente de terem assinado algum contrato com o rapaz ou não. Há alguma dúvida que isto seja assim? Há quantos anos há festas em Minde e isto nunca foi posto em causa?

Navigation, escreves muito, mas pouca se aproveita.
Tanta prosa para dizeres que:
- quem se meteu na alhada que se retire delas;
- que és anónimo e portanto podes criticar à vontade e não dar ideia nenhuma, até porque não as tens (!!);
- que gostavas mesmo era de ter um blog como este...

Anónimo disse...

so quero acrescentar mais uma coisa se houviram falar que quando ele foi a chamusca tavam la 100 pessoas por isso não é culpa da organização nem do preço do bilhete é que não podem pensar que ele ja tens os fas que o pai tem esse sim um bom investimento com socesso garantido força

JMQ disse...

Era uma aposta arriscada. O filho ainda não tem nome e, há 8 anos, cheguei à conclusão que, em Minde, os espectáculos são para os Mindericos. Quero com isto dizer que, não percebi ainda porquê, é dificil ver um mirense ou um morador de Torres Novas (ou Ourém) nos nossos festejos, independentemente do nome ser sonante ou não. Há 7 anso, na festa dos nascidos de 1961, o Tony Carreira fez uma boa casa mas foi uma excepção.

Enfim, os festeiros de 1959 têm a vida dificil. Quem não arrisca não petisca, é certo, mas aqui era previsivel o que aconteceu, pelo menos é a minha opinião, embora com pena. Espero que isto não desmotive ninguém, muito menos os que para o ano vão ser os responsáveis, como aqui o Pedro Micaelo, mas os tempos não estão para testes.

Daqui a 2 anos, se tiver saude e possibilidades de «fazer» a mesma festa, lá estarei.

Quanto à Comissão Fabriqueira, não é aqui vista nem achada. A festa não vai prejuízo, talvez já não dê muito lucro. Meter a CF na liça seria p.e. admitir que outras pessoas à altura, limitavam e pressionavam as opções dos festeiros. E eu não senti essa pressão. Com essas pessoas.

Agora são outras, espero que mantenham a mesma posição.

Anónimo disse...

Há uns anos o ano de 1950 leiloou um carro: Venderam 1.850 bilhetes. Ainda Minde era Minde. Até os fornecedores compraram bilhetes. Agora onde é que eles estão?

pm disse...

Para o Sr Navigation:
V. Exª navega muito pelas águas dos bitaites aqui e acolá, com uma no cravo e outra na ferradura, mas o sumo e a coerência são poucos.
Não publico fotos do Mickael em Minde porque não as tenho. Se tivesse pode crer que, com muito prazer, estariam agora a ser colocadas (ainda pode ser que apareçam), até porque, segundo alguns presentes, foi um dos mais profissionais e melhores espectáculos que já passou pelo Pavilhão Ana Sonça, e tão depressa vai ser difícil melhor.

Tb não compreendo a sua exagerada referência ao "TEU blog". Chama-se Minde-Online e, se quiser, também poderá ser seu.
Aliás, compreendo-o, e até muito bem, mas deixo isso para mim.

Não sou fã do MC (nem lá perto), mas para os detractores do rapaz aqui fica a sua agenda para os próximos dias:
24 JUL - Sesimbra - RTP Verão Total
24 JUL - Loures - Festa Romântica
26 JUL - Celorico de Basto
27 JUL - Lordelo - Festas da Cidade
27 JUL - SIC - Chamar a Música
31 JUL - Catanhede - Expofacic
02 AGO - Guarda

Pelos vistos ainda há quem goste!

Anónimo disse...

vamos mudar de assunto já chega

Anónimo disse...

O JMQ está enganado. A Comissão Fabriqueira deve ser chamada para aqui pois é a última responsável pelas dívidas das festas religiosas de Minde. É a entidade que as organiza.

Não terá sido o caso, mas a Comissão Fabriqueira costuma ser informada ou ouvida acerca de alguns gastos que vão ser feitos nas festas ou eventos religiosos e, por vezes, até procura influenciar, com maior ou menor sucesso, algumas decisões. Boas ou más não interessa. Isso é feito há muitos anos, de forma tácita e sem grandes problemas, polémicas ou stresses e daí nunca veio nenhum mal ao mundo.

p: agora é fácil dizer que o desastre era iminente e previsível; é como o outro: prognósticos só no fim do jogo.

RJABB

JMQ disse...

Caro Anónimo imediatamente anterior. Se for ler os comentários do artigo original «Mickael Carreira em Minde» colocado pelo Pedro em 30 de Junho (para os ler tem de ir ao arquivo deste blogue e clicar em Junho de 2008) verifica que já então eu dizia:

JMQ disse...
Para ter viabilidade, são necessários 2800 pagantes em pé dentro do pavilhão. E cabem? Com que condições de segurança?

Este fim de semana passei por Minde e não vi qualquer publicidade ao evento. Nada. Tem de vir muita gente de fora para ó investimento ser rentável.»

Penso que o que disse ontem está coerente com o referido em Junho e confirma as minhas anteriores dúvidas em relação ao evento. O problema está em que Minde não consegue atrair muita malta de fora para os seus espectáculos.

Enquanto a mó estava em cima ou no meio as coisas aguentavam-se. Agora com a mó em baixo, não há hipóteses. Agora que queria que eu dissesse antes: que o espectáculo estava condenado à partida? Cairiam todos em cima de mim acusando-me de falta de bairrismo e por aí fora.

Qaundo e se organizar mais uma festa, vai ver.

Anónimo disse...

JMQ:

Tem razão no tocante ao prognóstico.

Mas também me devia dar razão relativamente à posição da comissão fabriqueira, até porque trata-se de um facto sem polémica e sem grande volta a dar. E que servirá de base para a reflexão que se deverá fazer às festas religiosas de Minde. Hoje foi um buraco (potencial) de 30 mil €. E quando forem 100 mil €?

só um ps: que a malta de fora não vem a Minde já toda a gente sabe há muito e você também devia saber. Os mindericos vão a todo o lado. De fora, não vem ninguém a Minde. Então de terras num raio de 20 kms à volta de Minde, nem vê-los...

RJABB

Anónimo disse...

Pois é. Minde está a pagar com língua de palmo tanta sobranceria.
Se nós vamos a todo o lado e os outros não vêm, a culpa é de quem? Dos que não vêm?
Pois se nem os valorosos mindricos da diáspora cá põem os pés!Muitos nem a família vêm visitar!!!

PS: agora apaga lá esta ó censor Micaelo!

pm disse...

Censor Micaelo?
Já me chamaram muitos nomes, mas este é novo.
Tem razões de queixa?
Só têm sido apagados comentários com palavras menos próprias e injúrias anónimas. Se tiver problemas com o assunto, dê a cara e envie-me um mail.
Mas isso sei bem que V. Exª não vai fazer. A sua coragem limita-se a mandar pedras e a esconder-se.

pm disse...

Não compreendo as constantes referências à Commissão Fabriqueira da Igreja.
Corrijam-me se estou enganado, mas penso que a CFI não tem nada a ver directamente com isto. Até se tratava de um espectáculo extra festa, e acho que a Commissão apenas se deve ter limitado à cedência do pavilhão e saber para que fim.

Também nunca ouvi dizer que a referida Comissão tivesse de se responsabilizar por possíveis prejuízos das festas.

Ou estou muito enganado, ou quem afirma estas coisas nunca esteve por dentro duma organização de qualquer festa.

Sobre a malta de fora vir a Minde ou não, isso é um outro assunto mais delicado. Possivelmente somos nós que não conseguimos cativar ou receber bem. Mas isso é tema para uma conversa mais abrangente.

Anónimo disse...

Ora que esta agora!

Então a Comissão Fabriqueira não é responsável pelos prejuízos que eventualmente dêem as festas? Por acaso acho que nunca aconteceu, mas há alguém que, tendo feito festas em Minde, como eu já fiz, não saiba disto?

A festa não é da Comissão Fabriqueira? O dinheiro não vai para a Comissão Fabriqueira? A entidade que passa recibos não é a Comissão Fabriqueira?

As pessoas do ano limitam-se a ser uma comissão anual de organização da festa. São mandatadas e legitimadas pela Comissão para o faerem, em seu nome. Se não fosse assim, acham que eram festas organizadas por um grupo de marialvas do ano. Que por vezes não sao certos, havendo pessoas que se limitam a aparecer no dia da festa ou que se recusam a fazer a festa, mesmo tendo dito que o faziam?

E se não fosse assim ninguém se metia a fazer festas!

Desculpa lá Pedro, mas nisto estás a revelar falta de conhecimento.

E atenção que não estou a atacar a fabriqueira, antes pelo contrário. Mas temos de ser rigorosos no que dizemos.

wolfinho disse...

Concordando e discordando com muito do que se tem dito tenho a acrescentar o seguinte:

"De fora não vem ninguém a minde"

Das 600/700 pessoas que assistiram ao melhor espetaculo que o Ana Sonça alguma vez assistiu, MAIS de 90% eram de fora, se não fosse o pessoal de fora nem espetaculo haveria.

Anónimo disse...

Então só estavam 60 ou 70 mindricos. Isso mostra bem a gravidade da situação em Minde. Só 60 ou 70 estiveram dispostos a pagar 15 euros. Quantos irão comprar as rifas para o leilão do carro? E quantos irão ao jantar no dia 15 de agosto? Será que muitos mindricos vão deixar de ir á festa com medo que lhes peçam mais dinheiro para ajudar a pagar os encargos com o espectáculo?
Alguns disseram aqui que se devia reflectir sobre as festas de Minde. E com razão. A comissão fabriqueira devia definir melhor as regras do jogo.

Anónimo disse...

Afinal eram 283 pessoas ou 600?

Anónimo disse...

É tudo muito bonito mas a Comissão Organizadora não contratar uma banda de originais de Minde para fazer a 1.ª parte do espéctaculo por o cachet ser 300€ e eles só quererem dar 150€ ficamos com a real noção da coisa!

Os mindericos só dão valor ao que vem de fora, tanto financeiramente como musicalmente, os da casa se não trabalharem de borla ou quase de borla fica mal!

Porque o que continua a contar é a cara das pessoas, de quem é filho, se faz parte da nata minderica!

Abram os olhos!

Anónimo disse...

Ou eu estou muito enganado ou o pessoal de Minde está a pensar assim - quem se atravessou com a letra no banco que se aguente.

No fundo, bem no fundo, 90% dos mindericos pensa que foi puro atrevimento sem sentido avançar para um artista tão caro. Daí só lá terem estado algumas dezenas de naturais da terra. Se fosse um espectáculo da banda estavam lá mais pessoas, de certeza.

O senhor padre Albino é que vai ter uma palavra a dizer sobre o futuro. É que recorrer a artistas que passam o show a abanar as ancas não quadra bem com os ensinamentos da religião.

Afinal a festa é católica e a sua parte profana que é feita apenas para angariação de fundos não pode estar em contradição com a entidade que a promove.

Parece-me que Minde e o próprio concelho têm bastantes organizações que podem abrilhantar estas festas. E sobretudo festas que deviam promover uma certa espiritualidade e convivência sã entre as pessoas.

No fundo o que se passa dentro daquele pavilhão Ana Sonsa é uma agressão ao bem estar das pessoas.

Não se conversa, berra-se, cá atrás durante os espectáculos está tudo em pé a beber cervejas e a falar aos berros, as pessoas que estão nas mesas enfadadas, muitas vão-se embora por causa do barulho, é vulgar ouvir dizer-se que "só venho aqui para ajudar a festa", ou seja, os antigos arraiais populares que eram feitos no Coreto e depois na praça 14 de Agosto, transformaram-se numa chinfrineira e muitas vezes numa feira de vaidades - nem todos claro, mas muitos festeiros querem é mostrar que são melhores que os anteriores.

É TEMPO DE REFLEXÃO.O SENHOR PADRE ALBINO DEVIA ACONSELHAR-SE COM AS PESSOAS, REFLECTIR E IMPOR ALGUMAS REGRAS DE FUNCIONAMENTO. NUMA BOA, NO SENTIDO DE SE MELHORAREM AS COISAS, EQUACIONAR A POSSIBILIDADE DE VOLTAR A FAZER FESTAS AO AR LIVRE, NOMEADAMENTE A DE AGOSTO, PORQUE RARAMENTE CHOVE. COMPREM-SE 2 CONTENTORES-COZINHAS QUE PODERÃO FACILMENTE SER DESLOCADOS E VOLTEMOS A USAR O CORETO OU A PRAÇA 14 DE AGOSTO.

USEM-SE OS GRUPOS MUSICAIS DE MINDE E DO CONCELHO, EVITEM-SE CHINFRINEIRAS DESCABIDAS, PORQUE AS PESSOAS QUEREM É CONVIVER E NÃO SERem AGREDIDAS COM BARULHO. TEMOS A BANDA, TEMOS O SEU NOVO GRUPO MUSICAL, TEMOS OS DIVERSOS ARTISTAS DO CAORG E SEUS GRUPOS DE DANÇA E MUSICAIS, TEMOS O RANCHO FOLCLÓRICO DO COVÃO DO COELHO E OUTROS GRUPOS POR TODO O CONCELHO.

As festas religiosas de Minde estão ainda no coração do Povo.

Mesmo de pessoas como eu que são pouco religiosas. É uma tradição bonita, vale a pena reequacionar todo o seu funcionamento, é um factor de dinamizacão da Vila, aglutina a população, promovem o convívio.

E já agora, quem puder e assim entender, que ajude estes festeiros a minimizar a situação. Apesar de tudo ...

Vítor

Ricardini disse...

Já há muito tempo que não andava pela "blogo-esfera", e li todos os comentários com alguma atenção. Com uns concordo, com outros nem por isso.

Concordo com o jmq, na parte em que diz que um espectáculo desta envergadura, que custa 30.000€, é preciso ter algum cuidado, ainda por cima nos tempos que correm.

Toda a gente se apercebe que o mundo do espectáculo e nomeadamente da musica/concertos mudou e muito.
Os grandes promotores de espectáculos sempre foram as autarquias, e nesta altura até esses estão a suprimir algumas loucuras que faziam em prol da sua população, para espectáculos mais alternativos e obviamente mais baratos.
As bandas portuguesas estão a atravessar grandes dificuldades e têm uma agenda muito desfalcada, em relação há 5 anos atrás.
O que acontece agora é uma proliferação de festivais de verão que infestam todo país e que por dia possibilitam 6, 7, 8 bandas, e ainda uns Dj’s à mistura.
Paga-se um bilhete de 40€ e pode-se ver isso tudo, o que dá 5€ ou 6€ por concerto.

Estas alterações fazem-me lembrar uma outra, que aconteceu há uns largos anos. Quem não se lembra dos bailes, onde os grupos musicais levavam centena de contos e os bailes estavam sempre cheios, hoje em dia é impensável faze-los, ou pelo menos a pagar o que pagavam.

Portanto isto faz tudo parte das várias transformações que as populações e as sociedades vão sofrendo. Temos que estar atentos.

Agora até podem dizer que (como alguém já disse) eu estou a fazer prognósticos depois do jogo. Até é verdade, porque estou a escreve-lo agora, mas o que é certo é que estive a tocar em Minde, num casamento, onde, por que o meu baterista foi pai, quem tocou connosco foi o baterista do Mickael Carreira, no dia 05/07/2008, e eu até disse ao Paulo que achava que eles não iriam ter muita gente, mas que como ele tem um clube de fãs talvez esses ajudassem a compor o pavilhão. Afinal não errei muito!!!!

Para futuro, acho que deveremos ter muito cuidado a fazer o agenciamento de artistas de forma a não correr riscos. Agora há que aparecer na festa e beber umas minis de forma a ajudar quem precisa.

Vejam o que a comissão de festas de Maio fez. Coisas pequenas, com cabeça e persistente. Não sei qual foi o resultado liquido, mas o saldo foi positivo de certeza.

Quanto ao comentário de que o de fora é que é bom, já fui mais adepto dessa opinião, no entanto a malta mais jovem de Minde tem vindo a contrariar essa tendência, muito embora ainda continue a ser um bocado.
Ao fim e ao cabo eu, nestes últimos 2 anos tenho tocado muita vez em Minde.
Ainda bem que a Banda do Tiago e do Duarte não foram, porque acho que ficavam sem ver um tostão, como já nos aconteceu. Nestas situações é que ser de “dentro” é pior do que ser de fora.

Para finalizar, acho que deve-se continuar a fazer coisas em Minde, porque se não, Minde acompanhará o movimento que as muitas fábricas de Minde tiveram, que é ir para o fundo e desaparecer.
Um Abraço

Anónimo disse...

" Em Minde com o Mickael Carreira, vai ser um espectaculo mesmo a maneira. Com uns movimentos, sensuais aqui, e uns beijinhos ali vamos querer tudo ate nao ser demais. Ana C "

wolfinho disse...

RESUMINDO:

Depois de ler todos os comentários, e alguns mesmo sendo anónimos tiram-se pela pinta, fico a pensar que os comentários mais construtivos são feitos por quem faz alguma coisa, os mais destrutivos são pelos mesmos de sempre, anonimos e parasitas.

Bem hajam a todos e a quem não foi ver o MC ficou a perder um bom espetaculo.

Ricardini disse...

Quero acrescentar que a contractação do MC, foi, como ideia, boa e de louvar, mas com certeza que houve um pormenor ou outro que falhou.
E agora há que corrigi-los.
Para a festa, em AGOSTO, teremos com certeza a hipotese de ajudar a festa e a quem quis dar um GRANDE PRESENTE à população.
A população não esteve para aí virada, paciência!!!! têm de lidar com isso.

Um abraço e boa sorte 1958.

Anónimo disse...

Até parece senhor Wolfinho que quem convidou o artista foram estes anonimos todos. Como parece cair mal ao senhor que colabora neste blogue, o melhor é apagar todos os comentarios com que vexas nao concordem.

AMÉM

pm disse...

Não sei se por engano (talvez efeitos das buscas no Google), mas alguns comentários sobre este tema têm sido publicados num post de Junho (Mickael Carreira em Minde), como é o caso deste comentário do Sr. Luís Alves, que resolvi copiá-lo para aqui:

Luis Alves disse...
Sou de minde, e digo pessoalmente que é vergonhoso certos comentários que aqui se lê. Não somos todos da mesma terra sejam ricos pobres ou classe média....? Não deveria-mos lutar todos pelo mesmo fim...? Quem critica é pobre de mente e de espirito, porque nem tão pouco tem dignidade para se identeficar, e isto será porquê..? Eu digo-vos porque é fácil criticar a organização que todos sabem quem são e que foi bastante corajosa com o artista que trouxe e a quem dou o meu apoio e os parabéns, mas é muito dificil identificar-se para que todos nós fiquemos em pé de igualdade para discutir o assunto. Isso é a cobardia que invade a mente de pessoas que não sentem o orgulho de ser da terra. Aprendam e sigam o exemplo de terras não muito longe de vós onde a esta hora não era só as possoas do ano mas sim todo povo a lutar pelo mesmo fim... Mas infelizmente em minde ainda falta muito para isso..

26 Julho, 2008

Anónimo disse...

Tens um certo pendor para o humor carissimo Luis. Apreciei.

pm disse...

Nota:
Os comentários dos corajosos anónimos que apenas têm como alvo injuriar aqueles que assinam aquilo que escrevem, não são publicados

Anónimo disse...

Certamente que compraste umas dezenas de bilhetes a 2 euros cada um para o leilão do carro e para ajudar a pagar o calote enfiado ao banco, não é Alves?
O Pedro Micaelo devia publicar aqui a lista dos compradores de bilhetes para vermos quem é amigo de Minde.
Estes gajos têm cá uma lata!
Apresentam um cantor ao microfone e já se julgam gente!

Anónimo disse...

Micaelo acho que está na hora de acabares com este tipo de comentários até parece que não há assuntos mais interessantes.gente fútil fala de coisas fúteis,Abraço
Paula

pm disse...

Estou perfeitamente de acordo. Mas a malta gosta é de fofocar.
Preferia bem mais que comentassem o Plano Alcanena XXI, mas isso parece que não tem interesse nenhum. Paciência...

Anónimo disse...

NOTICIA DE ÚLTIMA HORA:

Mickael Carreira ficou preocupadissimo com a fraca adesão que vem em Agosto e faz um desconto de 100€, essa ajuda será feita atravéz da compra de rifas no mesmo valor. Com sorte ainda lhe sai o carro. eheheheheheheeh

Ass: O Comprador

O Vendedor de bilhetes disse...

Mickael Carreira em conversa com os festeiros pela madrugada fora prometeu voltar gratuitamente na época baixa, pondo só uma condição; ter a casa cheia. Sendo assim e se os festeiros colocarem mesas para toda a gente é de aproveitar, porque decerto os min dericos, numa grande manifestação de bairrismo, não deixarão de acorrer em massa, para ajudar os festeiros a recuperar o prejuizo.
Claro que não devem abusar no preço dos bilhetes, porque mais vale um passaro na mão que dois a voar.

pm disse...

A ser verdade este último comentário, acho que está aqui uma atitude muito louvável do Mickael Carreira. Nem todos os artistas têm posturas desta natureza.

Anónimo disse...

Esta notícia foi dada num serão há uns dias na esplanada do Estaminé. E quem o disse estava a falar a sério perante bastantes pessoas. E se é mesmo verdade, só temos que corresponder à oferta e comparecermos, se pudermos, nesse serão.

Vítor

Anónimo disse...

Mas voçes estão todos tó-tós, se não existe já fins de semanas livres para realizar qualquer invento em Minde onde vão agora encaixar o novo espectaculo do M.C,há já percebi é no fim de semana que era para ser o jazz de Minde.

Anónimo disse...

Então como vai ser?

Vem MicKael, que agora nós vamos receber-te muito bem.

Se for verdade, é uma atitude muito louvável por parte do Mickael Carreira; é sim senhor. Mas acham mesmo que agora é que vai ser um sucesso? Eu acho que vai ser um fracasso semelhante. Oh pessoal: quem é este Mickael Carreira? Toca alguma coisa deste gajo na Rádio?

Toda a vida defendi a prata da casa

Xaral's Band ao fazer 300€ num espectáculo em Minde, está a fazer um Grande favor á nossa Terra, Pois eles valem muitíssimo mais. A maioria das pessoas não se apercebem do tempo e empenho que estes artistas levam para proporcionar um espectáculo ao nível a que vimos na Quinta do Moinho.

Acho uma boa sugestão, um concerto do Xaral's Band: Dêem-lhes o que eles pedirem, para a nossa terra eles nunca levarão um preço injusto. Acredito que a malta aparecerá com muito entusiasmo.

Anónimo disse...

Todo a minha gente diz e (AGORA) tanto do lado do Ano 58 como do lado dos criticos,mas muitos desses com razão,a solução passa pela uma coisa que ninguem quer ver é acabar com tanta festa,façam uma mas como deve ser,a fabriqueira que começe a pensar nisto,ou não interessa para muita gente.