04 fevereiro, 2009

Minde, a canoagem e o ecoturismo


A avaliar pelas chuvas e pelo caudal de água que o Poio já mostra (fotos Natura Minde / GG), se vier aí um mês de chuvadas, é provável que a Mata volte a ter aquele aspecto a que nós nos habituamos nos Invernos mais rigorosos. Será óptimo para aqueles que gostam de saborear umas "remadelas" no polje e agradável para quem gosta de comtemplar uma paisagem diferente. Antigamente eram as lavadeiras que esperavam pelas àguas da Mata, hoje são os canoistas.


Há uns anos atrás o ex-presidente da junta de freguesia Luis Pires defendia que se deviam tapar os algares de escoamento da água, e acho que seria óptimo, mas em termos práticos, hoje é quase impraticável. Não só porque afecta o ecosistema, como teria custos elevados. Mas quem sabe se um dia não será possível preservar uma zona limitada e com àguas permanentes.

Contudo, o Polje de Minde é uns dos locais mais interessantes em termos turísticos que Minde, e o concelho de Alcanena, pode oferecer.
Preocupados apenas com o desenvolvimento industrial das últimas décadas, esta realidade tem passado completamente ao lado dos nossos olhos. E não só dos nossos olhos como aos olhos dos autarcas, que apesar de apregoarem o desenvolvimento do ecoturismo em todas as campanhas e discursos eleitorais, ainda não mexeram uma palha para que se começasse a fazer alguma coisa. Basta ver que o Polje de Minde é uma RAMSAR, ou seja, uma das 17 Zonas Húmidas existentes em Portugal classificadas internacionalmente, e nem sequer uma placa identificadora cá temos. Aliás, aqui por Minde poucos ouviram falar nisto, e até o site da CMA o ignora.



Isto não significa que o Polje de Minde seja a salvação da terra, mas devemos apostar no que temos, e migalha a migalha é que se poderá fazer alguma coisa para que Minde não se "apague" completamente. É neste contexto que surgiu o Natura Minde. Movimento que pretende ir promovendo os nossos valores naturais e desenvolver o ecoturismo local. O evento BTT MINDE já é uma realidade, mas existe muito mais para fazer. Com a lagoa cheia, nada melhor que tentar promover um fim-de-semana dedicado à canoagem.
Temos alguns praticantes em Minde, mas existem muitos mais pelo país fora que estão desejosos que a Mata encha. Basta ler o comentário no post anterior ou dar uma vista de olhos ao fórum dos AMIGOS DA PAGAIA, que foram os autores deste excelente vídeo.



Para levar a efeito mais esta aventura precisamos realmente que a Mata encha, e precisamos de estar preparados para de rompante podermos organizar esta "brincadeira" que poderá trazer a Minde algumas dezenas de praticantes.
Aceitam-se comentários, sugestões e... voluntários.

1 comentário:

Vigoras disse...

Amigo PM,

Obrigado por este post com dedicatória aos Amigos da Pagaia.

Não é que eu goste muito de chuva, mas gostava que a mata enchesse, quer de água quer de canoistas.

Vamos ficar aguardar indicação, nos amigos da Pagaia, de melhores condições aquosas para regressarmos a Minde.

Um abraço "alagado" desde S. João da Madeira para todos.
Vigoras