02 fevereiro, 2009

Entrevista a Fernanda Asseiceira


"Colocar Alcanena no centro do país e às portas da Europa”

Convicta de que 2009 será um ano de oportunidades para o concelho de Alcanena, a candidata do PS à presidência da Câmara Municipal, Fernanda Asseiceira, afirma em entrevista ao “Acção Socialista” que gosta de desafios motivadores e exigentes e que se baterá por conquistar a confiança dos eleitores. Manifesta total disponibilidade para concretizar um projecto autárquico de futuro e de mudança, que dinamize o concelho e afirme todas as suas potencialidades.
Fernanda Asseiceira critica a falta de rigor orçamental e oportunismo eleitoralista do actual Executivo camarário, traça um esboço do seu programa eleitoral e enaltece as marcas deixadas pelo Governo socialista no seu concelho.
Ler entrevista no blog "PS ALCANENA"

COMENTÁRIO / RESUMO :
Nesta extensa entrevista, Fernanda Asseiceira afirma-se convicta que pode fazer um bom trabalho como presidente da C. M. Alcanena e está convencida que consegue inverter o desastroso resultado eleitoral de 2001 em que apenas conseguiu 19,3% do eleitorado. Não acredita em candidaturas independentes e pensa que as pessoas estão desiludidas com o actual executivo que não cumpriu quase nenhuma promessa eleitoral, com a excepção da conclusão de dois projectos que transitaram do mandato anterior: Centro de Ciência Viva e Cine-Teatro S. Pedro.

Afirma que o Governo tem feito muito pelo concelho de Alcanena e está disponível para fazer mais. Dá como exemplo o futuro Quartel da GNR e a futura intervenção no Quartel dos Bombeiros Municipais.
Diz que o actual PDM não representa a realidade do concelho e que tem faltado ao nível de gestão autárquica uma definição clara das prioridades e a determinação para a concretização dos projectos estruturantes, acusando o actual executivo de falta de rigor orçamental.

A resolução do problema ambiental que tem representado o (des)funcionamento da ETAR é uma das suas principais prioridades e compromete-se a resolvê-lo.
Quer colocar Alcanena no centro do país e às portas da Europa, apostando na proximidade ao nó da A1 com a A23 para o desenvolvimento de uma área empresarial com enquadramento intermunicipal. Outra aposta será, numa perspectiva intermunicipal, a dinamização do norte do concelho, mais propriamente a freguesia de Minde em particular e o concelho em geral, quer em termos empresariais como turísticos, potencializando a grande proximidade à freguesia de Fátima.

Pretende um Plano Director Municipal, que seja ele próprio, dinamizador do crescimento e do desenvolvimento local, e criar condições para garantir no concelho instalações e equipamentos para uma escola pública de qualidade, assim como entende que se deve investir no desenvolvimento do turismo valorizando equipamentos e a própria localização em relação ao Parque Natural Serra D’Aire e Candeeiros.

Afirma que na política assume quatro compromissos fundamentais que continuará a defender acerrimamente: determinação nas políticas; responsabilidade nas estratégias; transparência nos procedimentos; e ética nos comportamentos.
Pretende que as juntas de freguesia sejam grandes parceiros e explica que o processo de escolha de candidatos ficará ainda concluído este mês.


8 comentários:

Anónimo disse...

Onde é que a Dra. Fernanda Asseiceira andou estes 4 anos de desnorte ICA?

Quais o projectos, dos vários incompreensíveis e contestados pelas populações subscritos pelos ICA's, foram também apoiados pela Dra. Asseiceira?

Que projectos e ideias diferentes levou a votação ao executivo camarário?

Quais as suas posições face a vários projectos propostos para Minde, quer pelo executivo camarário, quer pela sociedade civil e colectividades mindericas?

Isto é que seriam factos que nos levariam a avaliar correctamente a sua candidatura e não ideias feitas, gastas, comuns e inócuas, típicas da políticazinha...

jovem minderico

Anónimo disse...

bla,bla.bla,blaahhh......
tanta conversa para dizer tão pouco. disto tá o meu povo farto

Anónimo disse...

Quatro anos? Já são quase oito anos de marcha atrás, mais uns tantos protagonizados pelo snr. cunha.

Chegou o timming para aparecer um progressista que revolucione este vazio de idéias e simples apetência pelas mordomias do poder.

Um(a) candidato(a) que diz que o governo tem feito muito pelo concelho de alcanena não me diz nada. Chega de acomodados e de gente a dizer amen.

Minderico da Serra

pm disse...

Uma entrevista não é propriamente um programa eleitoral e certamente muito do exposto nesta entrevista será subscrito por qualquer outro candidado de outro quadrante político.

Certo será que se a Dra. Asseiceira (ou outro candidato qualquer) quiser ganhar a Câmara muito terá ainda que "pedalar" na apresentação de propostas concretas, inovadoras e viáveis para dinamizar o concelho.

Para mim, por enquanto, fica o benefício da dúvida, mas gostei da referência a Minde e no potencial turístico que se pode explorar com a proximidade a Fátima.
Para isso é issencial uma boa estrada (mesmo boa e com via pedonal) que nos ligue áquele centro turístico.
Temos condições e podemos criar uma oferta turística diferenciada que Fátima não pode apresentar.

Arnaldo Ventura disse...

Caro PM,

Uma entrevista não é nem deve ser um programa eleitoral, concordo plenamente. Mas deverá ser um espaço de afirmação de ideias e não só de pincípios.

Ela própria, de livre vontade, enumera vários problemas, mas não apresenta solução para nenhum. Ou seja, se por um lado quis transformar a entrevista numa afirmação política em que demonstra estar ciente de alguns problemas (os prinicipais?) do concelho, por outro descredibiliza-se com a falta de soluções.

Para se estar na política mais do que bons princípios (e isso ela tem sem dúvida!) é preciso ter inteligência emocional e não se deixar levar pelas perguntas mais básicas.

www.toucaneura.blogspot.com

Vigoras disse...

Amigos,

Não encontrei o local certo para fazer esta questão. De qualquer maneira deixo-a aqui:

Minde tem água para os Amigos da Pagaia aí voltarem?

Anónimo disse...

Tenho uma sugestão. Porquê não apostar nos ICAS outra vez? Afinal têm ideias, concretizam-nas, apresentam soluções para os problemas e são todos íntegros. Oposição desistam! Afinal os ICAS vão ganhar outra vez. Se mesmo assim quiserem arriscar quando derem alguma entrevista exijam, pelo menos 5 a 10 páginas para apresentarem as propostas, as soluções, como pô-las em prática, etc., etc., etc. Nada de tópicos por favor. Isso é muito insípido.
Sou de Alcanena mas resolvi participar aqui porque como podem ver nas participações do blog de Alcanena, o pessoal já morreu. Nao sei se de tédio, de comodismo, de habituação. Está tudo bem por lá. Não há nada a dizer nem nada a contestar. Talvez por estarmos na sede do concelho já fomos contagiados pela inércia...
Pensava eu que quem viesse, fosse quem fosse era melhor que os que lá estão. Afinal não há melhor! Estou cá com uma neura!

pm disse...

Caro Arnaldo,

Uma entrevista pode ser uma afirmação de idéias, mas também de princípios. Depende do entrevistado e do intrevistador.

Concordo que em matéria de idéias existe aqui pouco conteúdo, mas como digo, dou o benefício da dúvida e vou esperar para ver.

Congratulo-me por ter a hombridade de assinar o que escreve e por ter voltado e escrever no TouCaNeura.



Caro Vígoras,
Prazer em voltar a ler as suas palavras por cá.
O Polje de Minde, ou a Mata, como nós por cá costumanos designar, ainda não tem água suficiente para uma boa canoagem. Já reparei que os Amigos da Pagaia estão em "pulgas" para cá dar uma saltada, e por cá existe um grupo -Natura Minde- que mal existam condições iremos organizar uma pequena concentração da malta do remo. Já está em agenda.
Para vocês vou dedicar-lhes o próximo post com fotos da Mata.
Um abraço para o Norte,
PM