11 julho, 2007

Rock in Minde 2007

Não foi um estrondo, mas consideramos que foi um êxito. O vento e outro grande evento realizado simultâneamente em Mira de Aire "roubaram-nos" algum público, mas foi um serão bastante agradável e com uma "rockalhada" daquelas que eu já tinha saudades. Até deu para alguns banhos na fonte luminosa.
Está lançada mais uma semente, e se houver vontade talvez para o ano a "coisa" já seja diferente. A ver vamos.

Quero salientar que todas as bandas integram músicos de Minde, e que todas as bandas se ofereceram para tocar gratuitamente neste Rock in Minde.
Um agradecimento muito grande aos músicos, e em especial à malta da Bandalheira que já comemorou 14 anos (quase uma instituição), e que para além de tocarem nos disponibilizaram aparelhagem sonora e os técnicos.
Um agradecimento ainda ao CAORG e ao Cine-Teatro que também disponibilizaram material, e um grande abraço ao Henrique Lobo que foi basilar nesta história complicada do som e iluminação.

Menos bem esteve o serviço de bar explorado pelo VFCM, assim como os serviços da JFM que nem a fonte luminosa mandaram limpar e iluminar.
Assim não se contribui para elevar o nome de Minde. Mas, paciência... talvez para a próxima 6ª Feira as coisas melhorem.
Certo, certo é que o Rock continua bem vivo em Minde e existem descendentes do célebre conjunto Xaranga. Lembram-se ?

3 comentários:

Rui Carvalho/Bandalheira disse...

Obrigado pela parte que nos toca (Bandalheira)! Gostamos muito e sentimo nos sensibilizados com estes gestos de gratidão. Obrigado Pedro Micaelo e a malta do Jazzminde. Obrigado Henrique pelo apoio e vontade de trabalhar e ajudar

Anónimo disse...

Boa tarde a todos.
Também gostaria de realçar que a noite de Rock correu muito bem e dar os parabéns aos Bandalheira!!Não é fácil aguentar uma banda tantos anos e ainda por cima numa fase em que se perdeu um pouco o gosto por ver música ao vivo, especialmente em Bares!
Em relação ao cenário e espaço envolvente tb penso que a Junta falhou um pouco, pois, de que vale a organização do Jazz perder horas a fazer palcos bonitos se depois temos uma fonte suja e sem luz...Não entendo porque é que a fonte não se ilumina, pelo menos no f.d.s....e mais, as casas-de-banho da junta podiam estar ao serviço da população, mas não...as meninas ou se aguentavam ao pediam a chave do estaminé...espectáculo!
Em relação ao bar, parece que a "empresa de catering" ainda se está a lançar no mercado e ainda precisam de limar arestas!!Se não fosse o António Cândido queria ver como era!
Sem querer ferir susceptilidades, estas minhas criticas são construtivas e penso que se pode sempre melhorar guiando-se por algumas delas.
Mas generalizando, foi um festival e pêras!

Estou orgulhoso deste evento e desta equipa! PARABÉNS!!!

Bernardo Achega

Anónimo disse...

Assino na íntegra o que escreveu o Bernardo.

Muitos Parabéns à organização, quer à espinha dorsal do grupo, quer a todos os também que ajudaram a que o Jazz Minde e a Grande Festa da Música se realizassem, que foram muitos.

Minde só tem uma coisa a dizer-vos:

Obrigado!