19 julho, 2007

Reíniciadas as Obras da ZIM



Depois de interrompidas por largos meses, parece que alguém seguiu os conselhos da Kate (Tou Ca Neura) e devem ter oferecido um GPS à "malta do Lena". O certo é que as obras da designada Zona Industrial de Minde se reiniciaram e até estão num bom ritmo.

Não sei se hei-de ficar contente ou triste.
Se por um lado esta é uma longa aspiração de Minde, com mais de 20 anos, por outro, entendo que se está a fazer mais uma daquelas asneiras a que Alcanena já nos habituou.



Pessoalmente considero que este é um projecto completamente desactualizado (a começar pelo nome), e desfazado da realidade actual de Minde, conforme opinião já expressa neste blog em Maio último. Consultar artigo »»»»

Se me perguntarem se concordo com esta designada Zona Industrial de Minde, a minha resposta é um tanto ambígua: Concordo que se deve fazer qualquer coisa tipo um Parque de Serviços e Pequenas Indústrias, mas estou longe de concordar com o projecto que estão a implantar em Minde.
É um projecto sem condições para atrair investidores, com um impacto visual muito negativo, e que pouco beneficiará Minde, com excepção para meia dúzia de particulares.

Porque sou um pouco teimoso, já iniciei, a título pessoal, um pequeno estudo de readaptação que tenciono (se tiver tempo e paciência) entregar na JFM, sem qualquer pretenciosismo e sabendo que nada alterará o que se está a levar a efeito. Mas, como acho que o que se está a fazer é asneira, voltarei a manifestar a minha opinião. É para isso que servem os Blogs.

12 comentários:

vmcs disse...

Pedro

Quando há 20 anos alguém resolveu que esta era a localização bueda fixe, porque ficava pertinho de tudo, errou!

Mas eu pergunto: se alguém se lembrasse de dizer naquela altura que a ZIM devia ser feita a norte do Concelho (Covão do Coelho e Vale Alto) seria excomungado pelos Mindericos.

Por outro lado, esta ZIM nunca foi executada (até agora), porque houve um complot político/industrial para que nunca fosse feita.

É que se fosse feita, os industriais de Minde tinham medo que os salários tivessem que aumentar, se por acaso aparecessem outro tipo de industrias que pagassem melhor.

Tu não te lembras, mas eu lembro-me de uma célebre reunião, em que foi decidido não a fazer, por enquanto (àquela data).

Até me lembro em casa de quem foi feita essa reunião de industriais.

Mais tarde, alguém muito próximo de mim disse-me, quando chamei a atenção de que era uma asneira o que tinha sido decidido:

Nós queremos sossego cá em Minde - se vêm para cá outras industrias Minde deixa de ser uma terra calma!

Ora bem, aí está a calmaria que tantos, pelos vistos, desejavam.

Pedro, já reparaste que as elites de Minde raramente apoiam as ZIs ????

Para bom entendedor .... e depois dizem que tenho mau feitio quando escrevo certas verdades!!!

Querer agora que ela não se faça, é uma asneira ainda maior. O argumento de que deveria ser parada e ser feita outra a norte do Concelho não colhe. E não colhe, para já, porque as verbas adstritas a ESTA ZIM iriam imediatamente para outro lado.

Não penso, também, que a paisagem fique assim tão destruída como crês. É uma questão de controle dos projectos que forem apresentados para lá.

Por outro lado, pensas que uma nova ZI a norte do Concelho se vai fazer nos proximos anos?

Uma gaita é que vão, pois se não há um único vereador ou qualquer outro autarca que proponha isso na Junta, Assembleias de Freguesia e Municipais e Câmra !!!!!

O Sr. Engº Azevedo já deu provas de que se está marimbando para a ZI a norte do Concelho!

De modo que, caro Pedro Micaelo, deixa lá que façam pelo menos estes 16 lotes. É melhor tê-los que não ter nada.

Por último, termino ... alguns que vão ler este meu escrito vão, mais uma vez, dizer malzinho cá do rapaz.

Para esses aqui vai já a retribuição:

Ide-vos taxear!.

Um abraço, Pedro

Vítor Manuel Coelho da Silva

pm disse...

Viva, Vítor !

Tal como escrevi, eu não discordo que se faça esta ZIM. Acho até que é necessária.

Discordo absolutamente é do planeamento a que a mesma está a ser sujeita.
Estes tais 16 lotes situam-se na parte nobre do parque e deviam ser ocupados por outros serviços que não a construção de pavilhões industriais para satisfazer meia dúzia de interesses pessoais.

Isto condenará todo o sucesso da restante àrea e tudo ficará por estes 16 lotes, ficando a rectaguarda às moscas.
Acho até que isto é uma táctica para evitar que a ZIM tenha sucesso e evitar mais gastos em Minde por parte da CMA.

Em breve, exemplificarei com desenhos, que é a m/ linguagem preferida, como entendo que este projecto deveria ser conduzido, sem alterar grandes coisas.

Também sei que esta conversa não altera nada, mas como referi no texto, sou teimoso e gosto de dar a m/ opinião, mesmo que não seja solicitado para tal.
Um abraço,
Pedro Micaelo

vmcs disse...

Pedro

Muitas vezes é saudável ser "teimoso", ou melhor, persistente.

Reconheço-te razão, mas eu já estou por tudo ... verbas que venham para Minde, apoio sempre ... mesmo que discorde do "modus faciende".

A minha posição é esta --- 20 anos depois de se ter decidido fazer uma ZI, ela aparece.

Que se faça, antes que o Azevedo e sus muchachos agarrem no dinheiro e vão fazer mais festas para o pavilhão Multiusus.

A mesma coisa penso do Museu Pequerrucho na Casa Açores. Claro que esta Casa tem de ser recuperada ... mas para Museu do maior aguarelista pORTUGUÊS de todos os tempos?

E, para cumulo da parvoíce, ainda querem implantar 2 sedes siamesas num local que 90% ou mais dos Mindericos querem que seja Jardim!

Devias era fazer o tal "boneco" para o Largo das Eiras, pá!

Francamente! HAJA DEUSES! HAJA JUIZO! HAJA TREMBELHOS!

Anónimo disse...

lol

agora é a tese da cabala político insdustrial...

vamos lá nós falar um bocadito de post’s que fazem pouco sentido.

ora bem:

quem serão os tais autores do complô?
não sabemos e também não nos é dito.

com que objectivo?
não aumentar os salários em minde. (!!)
mas isto faz algum sentido? com as taxas de desemprego existente? e se uma empresa paga mais a um trabalhador, todas as outras empresas vão, automaticamente, passar a pagar mais?! mas isto faz sentido para alguém?

supomos então que a SAZEL, empresa na qual o nosso VMCS tem participação, para além de ser hoje a fábrica que melhor paga aos trabalhadores, também o foi nos últimos 20 anos! e mais. Além disso, deve pesquisar nas empresas num raio de 40 km da mata de minde quais os níveis salariais que se praticam, para os igualar ou, quiçá, para os ultrapassar!

E também, gostaríamos de saber porque é que em 1987, quando esses putativos factos se passaram, o (já há altura) industrial de malhas VMCS não levantou esta questão, nas tais reuniões semi-secretas onde se discutia isto.

realmente a internet tem destas coisas. pode-se dizer tudo.

o sr. eng. vmcs terá razão em muita coisa que diz. mas quando fala do que não sabe, e puxa demais a brasa à sua sardinha, mete os pés pelas mãos…

é que, vamos a dar confiança a estas coisas e chega-se á conclusão que nos últimos 20 anos afinal, ninguém senão 2 ou 3 pessoas quis a zona industrial de minde. e que, afinal, tudo o que se tem escrito e dito, ao longo destes anos e em tantos sítios e para tantos ouvidos, é só brincadeirinha….!

jj

L.Pires disse...

Fale com os membros da junta da altura e posteriores
E abra os olhos e os ouvidos
E deixe de pessoalizar os assuntos
E aceite que muitas vezes o VMCS tem razao
E aceite que é mais corajoso que o senhor, meu caro cobardolas anonimo

gAz disse...

Mais uma brasa na fogueira,

Eu discordo totalmente da suposta ZI, daqui a algum tempo veremos se aparecerá alguma empresa sem raizes em Minde para lá se instalar, ou ainda se nascerá alguma empresa nova em Minde, e discordo por várias razões, a primeira é a sua localização que não é adequada de forma alguma:
i) Primeiro é uma zona ambiental sensível, por onde passa a grande maioria das águas que abastecem a nascente do Alviela, e por conseguinte seguem para Lisboa (pode ser Sr. Victor que beba alguma!);
ii) o acesso é muito limitado, para transportes de grandes dimensões, e pode ainda ficar mais limitado se por acaso a mata encher (o que acontece com mais ou menos frequência);
iii) a iluminação natural é escassa e a humidade muita, penso que as empresas modernas prestam atenção a isto, pois ao final do ano são muitos gastos, para fazer essa correcção (apesar de cá em Minde isso não ser uma prioridade)
iv) uma zona industrial ou logística no norte da freguesia tería todas as vantagens, estas e ainda mais algumas como a publicidade feita junto à auto-estrada, tanto das empresas como da próprio polígono industrial, ou logistica, se ainda sobrarem empresas que não se tenham já instalado em Torres Novas.

Um abraço, e podemos sempre desenvolver este tema

PS: Não acho que gastar dinheiro mal gasto só porque é em Minde tenha alguma vantagem para a população, apenas para os empreiteiros, e outros que sabiamente se aproveitam.

Anónimo disse...

Vens tarde Gaz, porque só na compra dos terrenos a camara pagou aos proprietários 300 mil contitos. Antes de falares, informa-te.

joao coelho disse...

Durante 20 anos quase ninguém se ouviu a defender a zona industrial de Minde - agora que está em construção aparecem os velhos do restelo a opôr-se - estes pseudo mindricos fazem-me rir

pm disse...

300 mil contitos? Não é fruta a mais? Não sei quem é andará mal informado.

Tb não entendo o que é que o auto-proclamado "joao coelho" quer dizer c/ o seu comentário.
Pelo que li, esses tais "pseudo-mindricos" assinam com o próprio nome e não se refugiam com truques cobardolas escrevendo o nome de outras pessoas para dizer meia-dúzia de larachas.
É um truque sujo que revela muito pouco carácter. E mais não digo.
PM

Anónimo disse...

Tens razão PM um gajo a assinar com um nome de outro é de facto uma atitude muitíssimo putrefacta, degradante,nojenta, deprimente.
tenho a certeza de que não é motivo nenhm para orgulho, mas sim mais para o lado do vergonhoso.

Se quer fazer comentário e não se quer identificar, que seja simplesmente anónimo.

Faça como eu faço
Bebe bagaço
(ou então não te auto-proclames)

Anónimo disse...

Uma zona industrial no sopé da serra... Xiça ,que isto é mesmo terceiro mundista!!!!

Não se esqueçam dos impactos ambientais e de ordenamento do território que projecto vai criar em minde...
Destruição de àrea protegida, maiores dificuldades de escoamento de águas superficiais e subterraneas, dispersão de gases poluentess, ruído ambiental, águas resíduais industriais, resíduos sólidos, etc,etc...
Os industriais a instalar terão que "enfrentar" todas estas questões e factores, exigidos por lei!!!! (Mas isso eles já sabem, supostamente!)

A minha opinião é que a ZIM morreu à nascença... existem nas redondezas soluções muito mais viáveis de localização e de acessibilidade para as industrias, e acho que quem tiver interesse em investir vai ter isso em consideração, sem dúvida!!!

Agora, construir por construir, só porque o dinheiro vem pra minde e para estar a criar um "mastodonte" no sopé da serra, acho errado, muito errado...

Tiago

Anónimo disse...

Na anterior junta de freguesia do Luis Pardal todos os lotes tinham sido reservados. A totalidade dos lotes, quase 70. Muitos mindricos reservaram mais que 1 lote.
Sabiam disto?
Perguntem aos 3 membros da junta do Pardal que eles mostram a lista.