21 novembro, 2008

Paulo Fonseca não sai do Governo Civil de Santarém

Ministro da Administração Interna considerou que não há qualquer inconveniente. PSD está contra e há vozes no próprio PS que também não concordam.

O recém-eleito presidente da federação distrital de Santarém do PS vai manter-se como governador civil, apesar de ter colocado a hipótese de sair do cargo devido às novas funções políticas. Paulo Fonseca disse a O MIRANTE que colocou a questão da acumulação dos cargos ao ministro da Administração Interna e que Rui Pereira lhe comunicou não ver qualquer inconveniente.

Paulo Fonseca garante no entanto que vai sair do cargo de governador civil “um ou dois meses” antes do início da campanha eleitoral para as eleições legislativas de 2009, cuja data ainda não está definida mas que devem ocorrer depois de Setembro. O governador justifica a situação com o facto de como presidente da distrital socialista ter que participar em acções de campanha.
(...)
Recorde-se que em 2005 Paulo Fonseca suspendeu o mandato de presidente Federação Distrital do Partido Socialista, por indicação do então ministro, para tomar posse como governador civil. Na altura, em declarações a O MIRANTE, Paulo Fonseca disse que a decisão não se baseou em imperativos legais mas numa questão pessoal e de ética. “Não faz sentido um governador civil andar a fazer campanha por um partido”, referiu, acrescentando que enquanto exercesse o cargo para o qual foi nomeado pelo Governo não daria a cara pelo PS.
(...) Ler mais no "O MIRANTE"

2 comentários:

Anónimo disse...

Não está muito coerente esta posição do sr. governador.
Em 2005 era falta de etica acumular os dois cargos, e agora?
Estes políticos bailam conforme o vento!

pm disse...

Mudam-se os ventos, mudam-se as vontades !!!