18 setembro, 2009

Esclarecimentos sobre o JAZZminde


As eleições aproximam-se, e na falta de ideias e de obra, opta-se por ataques pessoais, sempre através do anonimato. Tenho lido (e vocês também) comentários quase a roçar o obsceno (fora os que não são publicados) que nada têm a ver com política, mas talvez com ganância, desespero, ansiedade, e... muita estupidez e falta de educação.

Tenho sido alvo de alguns, mas com esses posso eu bem, e nem sequer levam resposta. Mas vou prestar alguns esclarecimentos a alguns indivíduos que julgam que mandam areia para os olhos das pessoas e já começaram a querer misturar o JAZZminde nalgumas baixezas.
Tem sido com algum empenho, muito trabalho e algum sacrifício, que eu e muitos dos meus colegas temos desenvolvido para que o Festival de Jazz seja uma realidade. Tenho dado muitas as vezes a cara pelo Festival, e NÃO ADMITO determinadas insinuações e suspeitas.
A NINGUÉM !!!

HISTORIAL
O JAZZminde já tem 6 anos e 5 edições (em 2008 não se realizou).
Minde não tinha grande tradição em jazz e o 1º espectáculo só teve cerca de 40 pessoas a assistir, mas mesmo assim ninguém desmoralizou, e hoje é o único evento do Concelho de Alcanena que consta do Guia Nacional de Eventos.
Em 2006 e 2007 a organização realizou em paralelo a Festa da Música, e nesse último ano contaram-se cerca de 400 intérpretes envolvidos.
Em 2007 houve uma extensão do Festival a Fátima e em 2009 a Alcanena.
Em 2005, 2006 e 2007 foi realizada a Festa de 4 de Outubro que, nalguns casos, serviu para complementarizar as receitas do Festival.

ORGANIZAÇÃO
O núcleo organizador tem sido sempre basicamente o mesmo desde a 1ª edição, tendo o nº de colaboradores vindo a aumentar nos últimos anos, conforme a vontade e disponibilidade de cada um. Até 2009 foi um grupo quase "clandestino", mas neste último ano, com a integração na Casa do Povo de Minde passou-se a ter um enquadramento legal.

APOIOS
Os apoios têm sido diversos. Desde comerciais, institucionais e populares, tendo sido a CM Alcanena, desde a 1ª edição, o principal patrocinador, cujas acordos sempre cumpriu integralmente a tempo e horas. Excepção para um suplemento prometido este ano pelo Presidente da CMA, com origem na deslocação do festival a Alcanena, e que ainda não viu a luz do dia.

RECEITAS
O Festival não tem por fim gerar lucros, mas todos os anos acabou por gerar receitas superiores às despesas, com excepção do ano de 2007, em que houve um ligeiro déficite originado com a Festa da Música.
O chamado lucro, foi sempre entregue a colectividades préviamente destinadas, quer do Festival, quer da Festa de 4 de Outubro. A saber:

2004 - 600 euros - Casa do Povo de Minde
2005 - 750 euros - Sociedade Musical Mindense
2006 - 3000 euros - Bombeiros Voluntários de Minde
2007 - 600 euros - Telhado da Capela S. Sebastião (verba apurada na festa de 4 de Outubro)
2009 - Contas entregues à direcção da Casa do Povo que as divulgará em assembleia da colectividade.

Em 2007 as possíveis receitas do festival estavam destinadas ao CAORG e VFCM (50% cada), mas como houve déficite, não existiu qualquer entrega.
Desde a 2ª edição que os bares do Festival têm sido explorados (e bem) pela SMM, e em 2007 o VFCM ficou com a exploração do bar do Rock in Minde (Festa da Música).

OBSERVAÇÕES
Moralmente, a organização do JAZZminde apenas se encontra em dívida perante o CAORG, pois sempre colaborou com o JAZZminde e nunca cobrou despesas como o caso da electricidade e outras. Tencionamos vir a compensar essa colectividade assim que possível e quando entendermos.

O JAZZminde não tem quaisquer dívidas financeiras perante ninguém, e se alguém tiver dúvidas perante a totalidade do exposto, a organização terá todo o prazer em as clarificar pessoalmente.
ESTAMOS ESCLARECIDOS ???

PS:
Peço desculpa por me ter alongado neste tema, mas andam aí umas bocas (sempre dos mesmos "amigos") que já me começam a irritar, e o povo costuma dizer que, quem não se sente não é filho de boa gente.


3 comentários:

Anónimo disse...

sou uma leitora regular do minde.online e apreciadora.não entendo por que dás tanta importãncia a certa gente que mais não faz se não criticar o JAZZ MINDE só por si fala..e que continue..UM BEM HAJA

Ricardo disse...

FORÇA JAZZMINDE e Até Jazz...

Anónimo disse...

deixai-os falar que não sabem o que dizem,comecem é ja a preparar o 6 FESTIVAL JAZZ MINDE.eu estarei lá. um abração..ah já agora boa sorte para o NOVO RUMO.