04 março, 2008

Obras do Museu do Curtume sem financiamento

Obras do Museu do Curtume arrancam sem financiamento assegurado

O presidente da Câmara Municipal de Alcanena, Luís Azevedo, admitiu na última assembleia municipal poder recorrer a empréstimos bancários, previstos por lei, e também “a outros meios” da autarquia, caso a candidatura do Museu do Curtume em Alcanena (e também a do Museu da Aguarela – Roque Gameiro, em Minde) ao POC - Programa Operacional de Cultura não venha a ser aprovada.

As obras relativas à construção do Museu do Curtume tiveram início no dia 7 de Janeiro, no local onde funcionaram os antigos celeiros da EPAC. O antigo edifício já foi demolido pelo que o imóvel que irá acolher o Museu do Curtume será construído de raíz. O facto suscitou críticas por parte dos eleitos sociais-democratas que consideram que esta é uma “obra megalómana” e à qual “a autarquia se lançou sem rede”. Isto é, sem ter garantido o seu financiamento.

“Ainda não sabemos o resultado da candidatura mas tudo indica que seja comparticipada, embora não saibamos em que percentagem”, disse Luís Azevedo aos deputados da assembleia municipal, acrescentando que esta é uma obra que já estava prevista nas grandes opções do Plano de 2007. O valor da construção do edifício está orçado em 1 milhão e 600 mil euros a que acrescem as despesas de instalação do espólio, estimadas em 400 mil euros, tendo o projecto um valor global de dois milhões de euros. “Sabemos que este museu não vai gerar receitas à câmara e temos a noção que vamos sentir dificuldades e vai haver prejuízo mas vamos contar com apoio do Ministério da Cultura em relação à manutenção do espaço”, disse o autarca.

Recorde-se que, tal como O MIRANTE anunciou a 21 de Março de 2007, os dois novos equipamentos culturais que a autarquia local candidatou ao programa de apoios financeiros promovido pelo Ministério da Cultura foram seleccionados de entre 60 candidaturas, mas ficaram de fora dos oito projectos que vão ter comparticipação directa. O Museu do Curtume ocupava a 4ª posição na lista de suplentes e o da Aguarela aparece na posição seguinte. O que significa que teriam que de desistir 4 ou 5 candidaturas, dependendo do caso, para que Alcanena consiga ir ter a ajuda financeira necessária para a construção dos novos espaços.

Os trabalhos, a cargo da firma Lena, Engenharia e Construções, deverão estar concluídos até final de Setembro de 2008, sendo o valor da adjudicação da obra de 1 milhão e 650 mil euros.
In "O Mirante"

COMENTÁRIO:
Nada do aqui transcrito é novidade para nós, mas o certo é que se esse dito cujo financiamento não aparecer, "a manta" não estica e o buraco há-de aparecer em algum lado. Para haver "cacau" para umas coisas, há-de faltar para outras.

Na minha opninião, as obras são quase sempre bem-vindas, mas por vezes a maneira e altura como elas são projectadas, promovidas e feitas é que suscita muitas dúvidas. É o caso desta obra que a CMA está a levar a efeito. Desconheço totalmente o projecto e ideais (como todos nós), mas dá para preceber que é uma obra desajustada no tempo de vacas magras em que estamos, e basta o facto do secretismo e mistério em que está inserida para ficarmos todos contra e de pé atrás.

Já alguma vez se viu tamanha arrogância, falta de transparência e consideração perante os cidadãos, como é este caso?

Uma Câmara está a levar a efeito uma obra de índole cultural de dimensão e custos assinaláveis (e ainda sem financiamentos assegurados), que pretende ser um dos ícones do concelho, e a população é posta à margem de tudo, nunca viu uma maqueta ou um desenho, não sabe sequer qual é a idéia, e apenas sabe o local porque as máquinas começaram a escavar.
Contado, acho que poucos acreditam. Só mesmo numa câmara como a de Alcanena.

OBS: Já agora, não nos esqueçamos das obras que estão a ser levadas a efeito, já a alguns anos, no Cine-Teatro S. Pedro em Alcanena. Imaginam os milhares de euros que já lá enterraram? Eu não, porque é tudo Top Secret, mas imagino que já foram muitos.
Mas mesmo MUI.....NTOS!

11 comentários:

Mindericus Vulgaris disse...

Boa tarde

O que é preciso é investir a SÉRIO em obras que não desenvolvam o Concelho

Esta é a lógica ICA!

2.000.000 de Euros numa altura destas, de crise aguda, de "morte" anunciada da economia geral do Concelho, investem-se sem haver dinheiro.

E depois eu tenho mau feitio. Que diz o "jesuíta" anónimo a isto?

Um alcanenense revoltado disse...

Porque será que os mindericos malham no Museu do Cortume e nunca li nenhuma crítica contra a construção do Carsoscópio que está a ter um enorme sucesso?

Será que é pelo facto de a obra ter mais orçamento que o Museu Roque Gameiro? Só queriam um museu em Minde, era?

Estamos depois para ver o numero de visitantes de um e outro!

Mindericus Vulgaris disse...

Boa noite

SE Vexa andar bem informado, sabe que revelei no Portal Minderico que tinha ido visitar o Carsoscópio,tendo tido durante 2 semanas - 2, em destaque, essa informação, exortando toda a gente a visitá-lo. Inclusivamente sugeri que almoçassem ou lanchassem no restaurante que fica próximo.

Quanto ao Museu da Pele, também escrevi no Portal Minderico que apoiava, só não concordando com o "modus faciende". Acho que algures escrevi que voltaria ao assunto, mas Vexa deixou-me de tal maneira indisposto com Alcanena, que agora já não volto .... PRONTUS!

É claro que considero um "roubo" a Minde e ao resto do Concelho, gastar, no momento, 2.000.000 de Euros em tal Museu, quando o que o Concelho necessita urgentemente é de investimentos reprodutivos.

A minha insistência no Pólo Industrial a Norte do Concelho + Parque de Camiões TIR, passa por essa minha preocupação.

Assim como apoio o Pólo Logístico junto ao nó A23/A1.

Ambos já deviam ter sido pelo menos projectados.

De modo que Vexa, errou o alvo. Até parece o "jesuíta" que faz questão de tentar moer-me o juízo.

Por último, faço lembrar a VExa que, Mestre Alfredo Roque Gameiro foi um "monstro" da Pintura em Aguarela - o melhor Português de sempre.

Bem merecia um pouco mais de verba - mesmo sendo retirada ao Museu da Pele.

Há "braços", seu revoiltado!

vmcs

PS: Nunca ouvi um Alcanenense a torcer por obras em Minde - e já vi Mindericos a torcer por obras em Alcanena, nomeadamente "euzinho".

TOMA!

pm disse...

Caro Alcanenense,
Tudo o que é novo brilha e o Carsoscópio não foge à realidade.
Foi uma obra apoiada pelo programa Ciência Viva, e tenho feito à mesma a máxima publicidade possível (até talvez mais que a própria câmara). Devemos valorizar o pouco que temos no concelho.

O caso do Museu do Curtume é outro assunto.
Tem um orçamento 8 vezes superior que o Museu da Aguarela (que com o nome de Museu Roque Gameiro é uma instituição que existe à décadas), e não tem financiamentos aprovados.
Donde è que virá a massa?
Conhece alguma coisa sobre este projecto do Museu do Curtume?
Destina-se a quê?
Para mim não passa de uma obra de fachada que vai deixar o concelho ainda mais endividado.
Some-lhe outras tantas obras que se têm feito últimamente, como o dinheirão que se está a gastar no Cine-Teatro S. Pedro e veja para onde é que a CMA tem levado os parcos fundos que dispôe.

Não se trata de uma disputa entre Minde e Alcanena, trata-se do Concelho de Alcanena, da sua gestão, ou falta dela, e do progresso equitativo de todo o concelho.
Alcanena também se terá que mentalizar que não basta "puxar pela vila de Alcanena". "Puxar por Alcanena" é "puxar por todo o concelho", porque sem este Alcanena nunca será "nada".
PM

Alcanenense revoltado disse...

Estão a fazer um estardalhaço com o Museu do Cortume mas já viram que o vosso museu também não tem financiamento externo garantido? Sempre são 500 mil euros que a Câmara está a suportar!

Mas aí estão caladinhos, não é? A ver se as obras chegam ao fim...e depois, quem paga?

Ao menos sejam coerentes e não critiquem o nosso presidente por estar a assumir uma obra em Alcanena sem garantias de financiamento de apoios financeiros da CEE. Ele também está a fazer (até começou antes) isso em Minde!

E é muito mais importante o Museu do Cortume. Reparem, quando se fala em cortumes, vem logo à memória Alcanena, quando se fala em Roque Gameiro vem à baila...Amadora, nunca Minde. Essas obras deveriam estar era na Amadora, onde o vosso mestre viveu, nunca em Minde.

Calem-se com o Museu do Cortume senão... o vosso poderá ficar a meio!

Anónimo disse...

Aí está o problema dos blogs abertos a comentários. Temos de levar com todos os merdas que estão em casa de baixa e sem a mulher para descarregar as derrotas do clube e dos jogos de dados com os amigos no café.

pm disse...

Caro Anónimo Alcanenense (ou dirfaçado de)

Primeiro anda muito desactualizado. Não são 500, mas 240 mil euros. E até ao 1,6 milhões vai uma diferensinha.

Ao resto nem vale a pena responder... Informe-se melhor!!

Mindericus Vulgaris disse...

Des-bom dia para o Alcanenense Revoltado

Vexa é um parvalhote. Merece bem o cheiro que tem gramado ao longo da vida com os seus curtumes.

vmcs

JMQ disse...

Pedro, estás enganado. O preço estimado do concurso é de 397 476,40 euros, excluído o IVA. Lembrei-me que o João Ramiro um dia me tinha falado em 500000 euros.

Este alcanenense (é esquisito um alcanenense aqui neste blogue, não é?) nisso tem razão. Nas outras coisas, enfim, a dimensão duma obra não se pode comparar com a outra.

Bem, se calhar, como a outra obra está a ser feita de raiz, em teoria deveriamos somar a este valor o custo da aquisição da Casa Açores, há uns anos atrás. Isto é o economista João Querido a falar.

Embora também não saibamos quanto custou à Câmara o terreno onde está a ser construído o Museu do Cortume...

Vê:
http://www.compras.gov.pt/compras/concursos/detalhe.aspx?FRAMELESS=true&NRNODEGUID=%7B9A7E2D23-E003-4D1B-B4B9-05009637DB07%7D&idc=2611003749

e para o Museu do Cortume:
http://www.compras.gov.pt/compras/concursos/detalhe.aspx?FRAMELESS=true&NRNODEGUID=%7BB7850D15-49D6-4DAD-A222-49C346881728%7D&idc=2611002598

que foi rectificado:
http://www.compras.gov.pt/compras/concursos/detalhe.aspx?FRAMELESS=true&NRNODEGUID=%7B9A7E2D23-E003-4D1B-B4B9-05009637DB07%7D&idc=2611008895

pm disse...

Não estou enganado, não. Isso são os valores do anúncio do concurso.

O Museu da Pele / Curtumes começou por ter uma avaliação prévia de 1 556 500 euros e foi adjudicado por 1 650 000 euros.
O Museu da Aguarela / Roque Gameiro teve um custo estimativo inicial de 500 000 euros, foi a concurso público com o valor de 397 476 euros e acabou por ser adjudicado por 236 000 euros.


É o que está nas actas.

Anónimo disse...

Deixa falar esse" alcanenense" que nem escrever sabe; não se escreve "cortume" oh anormal!
Esvreve-se curtume!
Quanto às obras em Minde e em Alcanena não é preciso ser um grande génio para se verificar uma abismal diferença.
Aliás vocês são pródigos a fazer, ou a que façam por vós, obras faraónicas que não servem para nada que não seja esbanjar dinheiro.
Sabia que a célebre Biblioteca Municipal tem 14 empregados?
O que é que se pode esperar de alcanenenses que não vergam a mola para nada e que recebem sempre tudo de mão beijada?
Vocês, seus intelecto anormais, alguma vez fizeram, com o vosso suor, uma festa?
Não têm nada fruto do vosso esforço, enm uma banda, nem um côro, nem um jornal que se veja, nem um grupo de teatro, nem associações culturais, não têm nada!
São uns zeros à esquerda!