06 novembro, 2007

Feira da Golegã espera 1 Milhão de Visitantes

Com entrada livre e um programa cultural diversificado, a Feira Nacional do Cavalo na Golegã abriu as portas a 2 de Novembro e decorre até ao próximo dia 11. Estima-se que a mais castiça das feiras do seu género deverá levar à Golegã perto de um milhão de visitantes, segundo a expectativa do presidente da câmara municipal, José Veiga Maltez.

Ralis, raides, jogos equestres, campeonatos, maratona de carruagens e exibições são alguns dos muitos espectáculos que vão decorrer no certame. "É difícil prever o número exacto de visitantes, pois esta é uma feira franca [com entradas livres], mas a estimativa de anos anteriores, com a ajuda das forças de segurança, aponta para números dessa grandeza", adianta o autarca.

Esta é a 32.ª edição da Feira Nacional do Cavalo e a 9.ª Feira Internacional do Cavalo Lusitano, mas a tradicional Feira de S. Martinho já vem do período medieval e consolidou-se em 1571. "Este ano vamos ter uma feira revista, aumentada e melhorada, embora o essencial da tradição se mantenha", afirma José Veiga Maltez.



Aqui se apresentam os principais criadores nacionais e também internacionais, com os seus melhores exemplares, razão pela qual se transaccionam na Golegã os melhores puro-sangue criados no País, que são vendidos para vários pontos do globo.

Segundo o autarca, "vão estar presentes no Largo do Arneiro cerca de 50 criadores, a que se juntam muitos outros para assistir ao concurso nacional oficial do cavalo de sela, momento alto na feira, em que muitos vêm escolher o melhor garanhão para as suas coudelarias ou uma nova montada para desbastar". Também nesta matéria de negócios, José Veiga Maltez afirma que "é difícil falar em valores, pois muitos concretizam-se após a feira, que serve principalmente de mostra".

Nos últimos anos, o certame serviu de impulso à concretização de um conjunto de infra-estruturas, como o Equuspolis, centro cultural que permite acrescentar uma vertente científico-cultural, com colóquios e seminários internacionais sobre o cavalo, além de exposições de pintura, fotografia e escultura.

"Não somos revivalistas, mas a nossa identidade cultural passa muito por aqui e pensamos que esta é uma forma de podermos competir na União Europeia", defende José Veiga Maltez. Nesse sentido, a Golegã integra duas redes europeias que a colocam, e a Portugal, nas rotas internacionais do turismo equestre.
In "Diário de Notícias"


Ver programa no site oficial : http://www.horsefairlusitano.org/

2 comentários:

pm disse...

E nós a vê-los passar!
Por todo o lado se organizam eventos e feiras com dimensões assinaláveis.

No Concelho de Alcanena se conseguirmos trazer meia-dúzia de centenas de pessoas, já nos consideramos satisfeitos e a pensar que somos os maiores.

Bem, resta-nos ir provar a àgua-pé à Golegã.
Cuidado com as Brigadas.

Vítor Manuel Coelho da Silva disse...

Um milhão de pessoas em Minde? Só se fosse no Polje ... Imaginem um milhão de marmanjos em plena Mata e o Presidente Fresco a discursar do alto da serra!

Clap, clap, clap