29 janeiro, 2007

Torto Nasce, Tarde ou Nunca se Endireita



Muito já escrevi sobre as inqualificáveis obras de Requalificação Urbana que impigiram a Minde, onde foram gastos milhões que pouco se traduziram em benefícios.
Da superficialidade e falta de profissionalismo que a CMA demonstrou na gestão de todo este processo, resultou uma vila cheia de prumos nos passeios, mobiliário urbano e trabalhos de má qualidade, sentidos únicos sem necessidade e, complicações de circulação.
O que ficou para a história (e catálogo de propaganda eleitoral) foi a fotografia da inauguração junto da placa na Praça 14 de Agosto, e agora a Junta de Freguesia (por sinal da mesma cor) que fique com a "batata quente".

Passado pouco mais de um ano da tal inauguração, já assistimos a uma série de mudanças e experiências no trânsito em Minde. O zeloso Cid não pára de remendar daqui e dali. Endireita os desnecessários e horríveis prumos, coloca e tira sinais, e... faz o que pode e, lhe mandam.
A Junta de Freguesia vai improvisando ao sabor de reclamações e idéias iluminadas, mas tudo o que pode fazer, é mesmo improvisar e ir acudindo aqui e acolá.

O espelho destas Obras de Requalificação com que a CMA nos brindou é o que se passa na Praça Alberto Guedes.
Sem qualquer dignidade, começou por ser uma zona pedonal, improvisou-se 2 estacionamentos e acabou em parque de estacionamento no meio de vasos a bancos importados a granel de Espanha.
Depois seguiu-se um tira e coloca prumos, abriu-se o trânsito num sentido ou noutro, e agora é um misto disto tudo, com prumos perigosos e traiçoeiros, cortados a meio (anti-regulamentares), onde diariamente "enviam" os mais incautos para a oficina.
A Praça central de Minde, tem condições e, merecia um tratamento muito mais digno, funcional e estético. Obras destas? NÃO, Obrigado !!!

Esta é a herança da CMA.
Gastaram milhões da CE à tôa, deixaram-nos mal servidos, e agora, é o orçamento da pobre Junta de Freguesia que tem (e terá) de ir suportando todo este remenda acolá e conserta aqui.
Já lá vai mais de um ano, continuará eternamente, e agravar-se-à até que sejam tomadas medidas mais dramáticas.
Entretanto passam os cinco anos, cessa a responsabilidade do empreiteiro, a Câmara diz que não tem dinheiro, e a Junta vai passar a ser uma "empresa de remendação".
Este hipotético, mas mais que provável cenário, deve levar-nos a fazer contas sobre os enormes custos que irão continuar a aumentar e pesar nos pequenos orçamentos da JFM.
Além da Junta passar a ter despesas fixas e desnecessárias (cujos dinheiros deviam ser canalizados para outros melhoramentos), Minde não passará de ser um retalho de soluções de "remendo e improviso". Multipliquemos isto por uns anos e ... - Não deve ser grande solução!

"Salta aos olhos", de qualquer um, o mau planeamento da circulação automóvel e deficiente estacionamento.
A grande maioria dos prumos é desnecessária, feia e só causa despesas e acidentes. Será necessário restruturar e embelezar certas zonas de Minde, e, dar à vila um "cunho" mais regional, personalizado e de vertente cultural.

Mais tarde ou mais cedo, terá de ser feito um estudo e planemento desta natureza.
Já que a CMA não o fez antes de executar as obras, o mínimo que se pode exigir é que o faça agora. Minde precisa de um novo planeamento, e Minde não pode permitir que o PDM esteja caducado há três anos e não se vislumbre a sua actualização. Porquê estes atrasos ?
É uma matéria em que os Mindericos se devem manifestar e,... bater-o-pé !!!

3 comentários:

Um proto-autarca disse...

A Praça 14 de Agosto (entrada da Junta) entrou em obras.

A Praça do Estaminé está mais limpa :-)

O povo movimentou-se pela calada da noite :-)

2º proto-autarca disse...

É uma vergonha o que se passa em Minde. É necessário o povo tomar medidas destas, mesmo depois de passar na televisão, para desimpedirem uma rua ocupada por particulares. Que cãmara é esta ????

3º proto-autarca disse...

Deixa-os enterrar-se cada vez mais. Porque em 2009 voltarão a ser reeleitos. O Povo de Minde gosta da obra do Sr. Engº Azevedo. O resto é kumbersa. É que na miséria em que Minde se encontra, todos encontram consolo neste afundamento geral. A começar pelos industrais que berram que temos (eles industriais) de reduzir. Coitados, ainda não se aperceberam que têm é de fechar as fábricas e rapidamente haha