06 dezembro, 2006

Executar Para o Futuro



A Câmara Municipal de Alcanena deu um ar de sua graça e resolveu mostrar que estava viva e empreendedora.
Mandou colocar este cartaz à entrada de Minde. Acho bem !!
Menos bem acho tudo o resto, como já escrevi num post anteriormente.
Se visitarmos o local da obra (pelo menos a alguns dias era assim) continuamos sem saber quem é o empreiteiro geral, qual o valor da obra, quem é o técnico responsável da obra, qual a data de início e qual o prazo previsto para a sua conclusão.
Se nas obras particulares alguns destes dado são obrigatórios estarem afixados na obra e em local visível, porquê que a CMA não cumpre com os mesmos requisitos? Estão acima da lei?
Menos bem
está o facto de as obras estarem visivelmente paradas (parece que agora é que estão a fazer o levantamento topográfico), e de acordo com o que se pode ler na acta de reunião nº 20 de 13 de Novembro (pelo menos agora já publicam as actas) a previsão de conclusão das fases 1 e 2 será Setembro de 2008. Dois anos para se fazer uma rua com lotes de um lado e doutro? Em menos tempo se fez a Ponte Vasco da Gama, e muito mais rápidas foram as obras de pavimentação urgente de duas ruas em Minde de "grande movimento".
Na referida acta pode ler-se ainda que as obras foram adjudicadas à firma Construções Aquino & Rodrigues, SA, mas nada sobre o valor da adjudicação. Isso é assunto que nós contribuintes, não temos nada que saber, pois poderíamos ficar assustados, e os nossos autarcas querem evitar possíveis ataques cardíacos ao cidadão comum.
Péssimo é o facto de nesta fase inicial não se prever a construção dos acessos principais, que a meu ver condiciona (e muito) o êxito da Zona Industrial. Que garantias terá o investidor de que esses acessos serão feitos no futuro?
Absurdo é a previsão do custo por metro quadrado se situar na ordem dos 30 euros para uma ocupação de 50% da área adquirida. É um fraco incentivo para dinamizar a indústria quando existem Câmaras que disponibilizam lotes a 1 euro. Será que a CMA quer fomentar o desenvolvimento industrial, ou pretende fazer negócio com a ZIM, comprando terrenos baratos e vendendo caro ?
Cómico é o sub-título do cartaz em epígrafe: Executar Para o Futuro.
Mais lógico seria: Executar no Futuro. Faz-me lembrar o lema de uma campanha eleitoral não muito longíqua - "Fizemos muito, iremos fazer muito mais". Para mim a tradução só pode ser uma : "Deitámos muita areia para os olhos, continuaremos a deitar muito mais". Nesta eu acredito !

PS: Já agora (se tiver tempo e paciência), dê uma vista de olhos na referida acta de reunião do executivo camarário ( http://www.cm-alcanena.pt/cma/OrgaosMunicipais/executivo/actas/Acta131106.pdf ). Tem mais ênfase a desistência de um determinado idoso do passeio do turismo sénior e sua substituição por outra senhora, do que tem todo o capítulo 4 destinado às Obras Municipais, onde se inclui a Zona Industrial de Minde.
Dá para fazer uma análise destas importantes reuniões.

8 comentários:

Anónimo disse...

Para inglês ver também seri um bom título para este post.

Anónimo disse...

Acham que é a "ZIM" que vai dinamizar e desenvolver a freguesia?

Investimentos em indústria textil?
Não estou a ver os grandes grupos industriais e económicos da região a vir investir na ZIM...
Quantos postos de trabalho irão ser criados? Só lá pra 2015, não? (a ver pela data de conclusão das obras!!!!)

Que grande fantochada!!!
Andam a brincar com o dinheiro público.

pm disse...

Andam a Brincar com o Dinheiro Público também seria um possivel título para este post.
Mas esta brincadeira não é de agora.
Basta ver os balúrdios que foram gastos com a reconversão de Minde e Alcanena e a porcaria que ficou.

pm disse...

Nota:
Neste post foi excluído um comentário, pois ostentava uma linguagem pouco própria para consumo.

combater em minde disse...

Concordo que esta ZIM está condenada à nascença, e duvido muito da sua utilidade conforme estão a fazer as coisas. Estes Icas sabem é fazer avenidas para as suas vivendas novas, e o resto é música e fachada de adorno.
Realmente a acta da reunião é um espelho desta palhaçada toda.
Deus nos valha :)....
É como os outros que agora andam a debater Minde. O que vale é vem aí o Natal.

vmcs disse...

Quem está contra esta zona industrial de Minde ainda quer ver a terra afundar-se mais???

Há 20 anos que todos sabemos que estava projectada para ali este equipamento.

Vir agora à última da hora discordar que se faça é de uma falta de lucidez a toda a prova.

A questão que se coloca agora é a Câmara dinamizar a oferta dos lotes a preços convidativos e divulgar Minde como uma terra com equipamentos básicos de qualidade, acessível a 10 minutos de distância à A1, quer a Sul, quer futuramente a Norte no novo nó da A1 que se fará a sul de Fátima.

Divulgar Minde como sendo uma terra de gente trabalhadora, com capacidade para se moldar a novas indústrias.

Referir a grande quantidade de Mindericos com formatura superior que poderiam voltar para Minde se houvesse condições para bons empregos.

Quanto ao acesso á ZIM ele far-se-á. Não faz sentido a Câmara iniciar a obra sem ter previsto o seu futuro acesso.

E enquanto não se faz esse acesso não vejo como os camiões TIR não possam aceder à zona.

A estes profetas da desgraça nunca os vi incomodarem-se com os milhares de camiões TIR que ao longo de dezenas de anos circularam pelo interior de Minde para servirem as fábricas têxteis existentes.

Para denegrir vale tudo, mesmo estar contra uma peça fundamental para o desenvolvimento de Minde.

Eu, que tenho sido um dos mais virulentos críticos deste Executivo ICA e do Sr. Engº Azevedo, basicamente pela falta de interesse manifestada ao longo dos anos por algumas questões básicas (ZIM, novo Polo Ind. a Norte, PDM, Museu Roque Gameiro, Eiras), congratulo-me por finalmente a ZIM avançar.

Não será o melhor local, concordo, e por isso sugiro um novo Polo a Norte (o que fiz quando o Carlos do Bia me consultou há 20 anos). Mas se temos este pássaro na mão, vamos deixá-lo fugir?

Francamente, temos de reconhecer que apesar de todos os defeitos que tenho apontado e que se apontam aos ICAS e ao Engº Azevedo, obras têm aparecido. O seu a seu dono. As prioridades, quanto a mim é que têm falhado e muito.

Num dos meus escritos virulentos cheguei a dizer que os ICAS eram o maior problema "ambiental" de Minde nos últimos anos. Pela sua pouca dinamização.

Mas, não sendo tolo de todo, olho para o lado e o que vejo?

Líderes de outros Partidos que manifestamente fogem às questões, andam a deixar correr a "coisa", poucas ou nenhumas propostas concretas fazem, incapazes de criar estruturas partidárias actuantes e consequentes, longe do Concelho, longe das populações, faltando ao debate.

Ressalvo aqui, apenas, o Sr. Valdemar Henriques, homem sem papas na língua e que, concordemos ou não com ele e as suas posições não foge com o rabo à seringa.

Lamento dizer isto, mas continuando tudo assim, os ICAS irão ganhar novamente em 2009. Não é que isso me faça grande "mossa", pois as alternativas não são melhores, até ver.

E, parece-me, que os ICAS sendo bem "pressionados" e lembrados de certas questões, poderão arrepiar caminho, deixar de pensar tanto em festas e festarolas e cuidar melhor do Concelho.

Mas para isto é fundamental sermos mais a "pressionar". O simples bota-abaixismo é muito prejudicial. E fala (escreve) quem não tem tido papas na língua (e na caneta) em relação aos ICAS.

Vítor Manuel Coelho da Silva

vmcs disse...

Adenda

Não pensem que estou a virar o bico ao prego. Continuarei a ser virulento com os ICAS se as "coisas" não mudarem.

E então se persistirem em ocupar o Largo das Eiras com betão, esperem pelo bate.

O mesmo digo para o caso de não considerarem o Polo Industrial a Norte do Concelho nesta revisão do PDM.

Um abraço

vmcs

pm disse...

Isso é bem verdade.
Os partidos e os políticos que só aparecem de bandeirinha na mão na altura dos votos estão todos arrecadinhos e sem dizer piu. Mandam meia dúzia de basófias na altura das eleições, mas depois são um vazio completo.
Nas últimas autárquicas votei, mas hoje abstinha-me.