01 novembro, 2006

"Os princípios" da Zona Industrial



Após quase um mês do início das tão esperadas obras da ZIM, já começa a ficar delineada a área abrangida por esta designada primeira fase da Zona Industrial.
O terreno já se encontra decapado e está a ser montado o estaleiro.

Estranho é em nenhum local da obra existir um único placard com o nome do empreiteiro e dos responsáveis pela obra.
Mas, já estamos a ficar acostumados a estes secretismos. Ninguém, mesmo contrariando a lei, tem nada que saber. Se a obra fosse de um particular, já tinham passado a multa (conforme o particular).

Também não é muito grande a àrea destinada a esta fase inicial.
Não sei o que se pretende, mas se não forem construídos já bons acessos, o mesmo será dizer que tudo está condenado à nascença.

Outra questão, muito pertinente, que poderá condicionar o sucesso desta àrea industrial, é o preço que a CM Alcanena irá pedir por M2.
Já ouvi falar num mínimo de 15 euros. Acho muito exagerado.
Se atendermos ao preço a que a Câmara expropriou os terrenos, e que só se poderá construir em 50% do terreno, não é muito apelativa a proposta da CMA.
O sucesso e viabilidade desta Zona industrial só serão reais se os preços a praticar por M2 forem meramente simbólicos, devendo, em contrapartida, a CMA ser exigente na qualidade das edificações.

Também não concordo nada com os índices de ocupação de solo, que me disseram estar previstas para os lotes.
50% é um índice muito elevado e, aliado ao alto preço por M2 irá levar ao aproveitamento máximo do terreno com anexos, alpendres e outros.
Resultado: Vai originar um amontoado de construções e barracões sem um mínimo de áreas verdes e livres.
Lotes maiores e menor ocupação de solo é a solução para quando se pretente um Parque Industrial e não um aglomerado de pavilhões e barracões inacabados.



Perante estes sumários indícios não me parece que a ZIM leve bons príncipios.
Mas será que a CMA pretende alguma vez construir um Parque Industrial em Minde?
A mim parece-me que não.
A ser verdade que os preços vão ser altos (como se prevê), os gestores da CMA apenas estão a pretender que ninguém lhes toque.
No futuro, não serão obrigados a construir mais fase nenhuma, e a Zona Industrial de Minde fica feita. Se não houve clientes para a fase 1, não será necessário construir mais fase nenhuma. Essa irá ser a conclusão.
O problema fica resolvido, sem grandes investimentos, calam as pessoas e dão como cumprida mais uma promessa eleitoral.
Assim se vai fazendo política no n/ Concelho. Deus queira que me engane!

Mas vamos esperar e dar o benefício da dúvida. A obra terá que aparecer (julgo eu), os preços terão de ser divulgados e então logo saberemos.

Este assunto vai ter pano para mangas !!!

9 comentários:

Anónimo disse...

O fundamental seria destacar pelo menos um Vereador para angariar indústrias para Minde.

Mas para isso seria preciso trabalhar.

E eles não querem trabalhar, com excepção do vereador Marcelino que é o único que trabalha nesta Câmara.

Aliás, o vereador Marcelino vai ser muito provavelmente o numero 2 do futuro Presidente da Câmara de Alcanena.

Eu disse futuro e não futura, porque a Asseiceira já era. Estejam atentos e verão que o PS vai apresentar UM CANDIDATO.

Daqui a um ano, novas eleições para a concelhia do PS. E será um homem o eleito. Com credibilidade no concelho.

E irá arrasar daqui a três anos. Teremos então um executivo da cor do Governo.

Talvez assim no próximo mandato o concelho ressuscite.

Anónimo disse...

LOL

Então para V. Exa. o importante é ter um HOMEM a dirigir a Câmara?!!

ó homem, ao menos mande um argumento a favor dessa ideia tão inovadora.

É que, pelo que sei, nunca tivemos uma MULHER a mandar na Câmara ou na Junta.

A miséria que é a governação autárquica foi sempre feita por homens...

Vá-se lá educar e depois venha aqui mandar bitaites...

gAz disse...

Já eu acho muito bem, pois toda a gente se queixa, e ninguém se ri, então eles votaram neles, pois é o que parece, em minde ninguém votou neles, mas os srs ganharam à mesma não foi.
Será que o Salazar voltou e ninguém deu por isso.
Bem nunca se sabe, com os avanços da genética, temos cá em Alcanena uma Azevedolly ou coisa que o valha

o primeiro anonimo disse...

Não é questão de ser um HOMEM, mas será um homem porque a Asseiceira perdeu o comboio.

Por mim até seria bom que fosse uma mulher, para variar. Há mulheres autarcas excepcionais.

A Asseiceira nao vai resistir as manobras que andam a ser feitas nas suas costas. Culpa dela.

Apesar de ela andar a tentar inscrever muita gente no PS com o pessoal do Caorg e ligado aos familiares do Caorg.

Ela prepara esta surpresa, que ja nao eh surpresa, porque tudo se sabe.

E a Ana Claudia Coelho tambem pode por as suas barbas de molho. Ja foi encontrado o seu substiuto para candidato nas proximas eleicoes.

Anónimo disse...

Assim é outra conversa.

Manobras em partidos políticos vão existir muitas até às eleições.

Desde logo, porque parece que é o último mandato do agrupamento ICA.

Depois, porque parece que há alguns galos de capoeira que, prevendo o afastamento de Azevedo e seus boys, já se estão a colocar em campo.

Quanto à estratégia da Dra. Asseceira, de arranjar correlegionários para o PS local entre membros do CAORG e seus familiares, só 2 comentários:

1) Que sejam melhorzinhos que o Eng. Menezes, que foi lá fazer um frete a 'quem nós sabemos'.

2) O melhor é enviar já um e-mail à Sra. Vereadora, Deputada e líder da concelhia do PS, relativamente à questão "Sedes do CAORG e BANDA".

Ela que esclareça desde já de que lado da "barricada" é que se encontra, para depois não lhe darmos um contrato de 4 anos e ela nos enganar, como muitos têm feito.

Ps: a nota do GAZ sobre o n.º de votantes em Minde dos ICA's é genial. Os ICA's tiveram 50% de votos em Minde na Câmara e ganharam a Junta. Alguém há-de ter votado neles...

Não se esqueçam disso.

Anónimo disse...

Na vale a pena. O Meneses e companhia viraram marxistas. Com convicção.

Viva Minde xucialista

Anónimo disse...

A fábrica dos Pires é quase tão grande como a mini-zona industrial tsst tsst tsst tstsst

Anónimo disse...

Amigos conterrâneos...

Será que ninguem vê que construir a zona industrial no local onde está projectada irá constituir um dos maiores crimes ambientais jamais realizados pelos mindrícos e pela CMA.

Porquê destruir abrutamente área "protegida" pelo PNSAC, quando existe outras localizações muito mais favoráveis??????

O local até é bem interessante para criar um parque de laser de cariz cultural ambiental e desportivo que chamasse o turista que vem a Fátima - Grutas de Mira D'Aire - dinossáuros - Batalha, etc... a relaxar, divertir-se, praticar desporto, almoçar, pernoitar, com as inerentes mais valias que isso trazia para Minde.

Que acessibilidades existem naquela zona para o fluxo de materiais???
Camiões TIR a descer/subir a serra??? a cruzar o largo da igreja??? a capela???

Mais. Que será feito depois a:
Águas resíduais??? Resíduos industriais??? Emissões de gases?? Ruído industrial?? etc...
Virá tudo para as zonas habitacionais ou ficará tudo a "boiar" na mata???

Já pararam um pouco pra pensar nestes pequenos/grandes promenores?

Zonas com melhores acessibilidades (Z Ind. Fátima/Ourém ou Z. Ind. Torres Novas/"Alcanena-Videla") serão muito melhores pra todos e estão a 5 minutos de Minde...

Parece que nem pra Minde são bons...
Yhasz

Anónimo disse...

Este deve ser director de outra colectividade de Minde que não quer que se faça a zona industrial para que o dinheiro vá para a instituição dele.
Depois de tantos anos só agora é que resolveu falar contra a zona industrial, grande besta.